Esclerose múltipla: saiba mais sobre a doença de Christina Applegate

A atriz de Disque Amiga para Matar revelou o diagnóstico aos 49 anos. "Tem sido uma estrada difícil", disse pelo Twitter

atualizado 10/08/2021 19:13

Christina ApplegateSteve Granitz/WireImage

A atriz Christina Applegate, 49 anos, revelou nesta terça-feira (10/8) que “há alguns meses” recebeu o diagnóstico de esclerose múltipla, uma doença autoimune que afeta o sistema nervoso central.

“Foi uma jornada estranha. Mas tenho sido apoiada por pessoas que conheço também nessa condição. Tem sido uma estrada difícil. Mas, como todos sabemos, a estrada continua. A menos que algum idiota bloqueie”, escreveu a estrela da série Disque Amiga para Matar, da Netflix, no Twitter.

Disque Amiga para Matar:  Christina Applegate e Linda Cardellini estrelam comédia sobre duas amigas que tentam descobrir a causa da morte do marido de uma delas

A esclerose múltipla é uma doença que ainda não tem cura, mas é tratável na maioria dos casos. As terapias disponíveis ajudam no controle dos sintomas, evitam as crises ou surtos e a evolução do quadro.

Na doença, o sistema imunológico ataca a bainha de mielina, uma estrutura que reveste os neurônios, causando destruição ou danos permanentes nos nervos, o que leva a um problema de comunicação entre o cérebro e o resto do corpo.

Os sinais e sintomas variam entre os pacientes. Eles incluem:

  • Cansaço excessivo;
  • Sensação de dormência ou formigamento nos braços ou pernas;
  • Falta de força muscular;
  • Alterações no andar ou perda do equilíbrio;
  • Rigidez ou espasmo muscular;
  • Tremor;
  • Dor de cabeça ou enxaqueca;
  • Lapsos de memória e dificuldade de concentração;
  • Problemas como visão dupla, nublada ou borrada;
  • Dificuldade para falar ou engolir;
  • Incontinência urinária ou fecal;
  • Falta de ar;
  • Depressão.

Os sintomas podem ser agravados quando se está exposto ao calor, reduzindo quando a temperatura volta ao normal.

Em geral, eles ficam mais evidentes durante crises que surgem ao longo da vida dos pacientes. Nesses episódios, é extremamente importante buscar atendimento com neurologista. O tratamento da crise contribui para a redução ou desaparecimento completo dos sintomas e reduz os riscos de sequelas.

Causa

A causa da esclerose múltipla é desconhecida, mas existem fatores que são relacionados a ela. A doença costuma se manifestar quando o paciente tem entre 20 e 40 anos e diagnósticos em mulheres são de duas a três vezes mais comuns do que em homens.

Ter casos de esclerose múltipla na família (pais ou irmãos) aumenta o risco, assim como ter infecção por vírus como Epstein-barr ou outras doenças autoimunes como doenças da tireoide, anemia perniciosa, psoríase, diabetes tipo 1 ou doença inflamatória intestinal.

Diagnóstico

O diagnóstico é baseado no histórico clínico, nos sintomas e em exames de imagem, como a ressonância magnética.

O médico também pode pedir a análise do líquido cefalorraquidiano extraído por punção lombar. O exame pode acusar anormalidades em anticorpos associados à esclerose múltipla e ajudar a descartar infecções ou outras condições com sintomas semelhantes.

Exames de sangue também são pedidos para descartar a possibilidade de outras doenças com sintomas semelhantes. (Com informações do portal Tua Saúde)

Mais lidas
Últimas notícias