Dinamarca encontra coronavírus de visons em 214 pacientes com Covid-19

A mutação que surgiu nos animais é responsável pela decisão de sacrificar milhões de visons para evitar multiplicação do vírus

atualizado 06/11/2020 19:36

Homem segura vison. Animais serão abatidos na DinamarcaDeutsche Welle

O governo da Dinamarca já identificou 214 pacientes com a mutação do coronavírus provocada por visons — as notificações são contabilizadas desde junho, e foram publicadas no site do instituto responsável por doenças infecciosas no país.

Os visons são animais criados por causa da pele, que é usada na produção de casacos e outras roupas. A mutação foi encontrada nos bichos de cinco fazendas, e o governo dinamarquês afirmou que sacrificará 17 milhões de animais para evitar a disseminação do vírus.

O coronavírus vindo dos visons pode afetar a produção de anticorpos contra a Covid-19. Dos 214 pacientes com a mutação, 12 tinham a mudança específica que age contra o sistema imunológico.

Em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (6/11), Maria Van Kerkhove, imunologista responsável pela resposta da Organização Mundial de Saúde (OMS) à pandemia, afirmou que a transmissão entre animais e humanos é preocupante.

“Estamos trabalhando com nossos escritórios regionais, onde há fazendas de visons, e avaliando a biossegurança para prevenir surtos”, diz.

A cientista-chefe da entidade, Soumya Swaminathan, explica que ainda é cedo para qualquer conclusão sobre os efeitos desta nova mutação na imunização da população.

0

Mais lidas
Últimas notícias