Covid-19: estudo aponta declínio de anticorpos após três meses

Pesquisadores da King’s College de Londres, na Inglaterra, avaliaram 90 profissionais de saúde e pacientes do Reino Unido

Uma pessoa que já pegou Covid-19 está imune ou ainda corre riscos de contrair a doença? Estudos avançam em relação ao questionamento e têm mostrado que a imunidade ao novo coronavírus dura poucos meses. A pesquisa mais recente, publicada em versão preliminar no site medRxiv, no sábado (11/7), sugere que os anticorpos reduzem significativamente após 90 dias.

Pesquisadores da King’s College de Londres, na Inglaterra, avaliaram 90 profissionais de saúde e pacientes do Reino Unido. As respostas do anticorpo à Sars-CoV-2 podem ser detectadas na maioria dos indivíduos infectados de 10 a 15 dias após o início dos sintomas da Covid-19. Conforme análise dos exames de sangue, porém, apenas 17% dos indivíduos contaminados mantinham a imunização após três meses.

“As pessoas estão produzindo uma resposta razoável de anticorpos ao vírus, mas está diminuindo em um curto período de tempo e, dependendo de quão alto é o seu pico, isso determina quanto tempo os anticorpos permanecem por perto”, afirmou Katie Doores, líder do estudo, em entrevista ao The Guardian.

A redução dos anticorpos num curto espaço de tempo pode ter influência numa futura vacina. De acordo com Doores, essa reação pode se repetir em doses da imunização, o que sugere a necessidade de um complemento da vacina (segunda dose).

A redução rápida de anticorpos contra o novo coronavírus também sugere que a imunidade de rebanho não é plausível. Isso porque, ainda que o número de pessoas de uma determinada comunidade chegue a 70%, elas estariam novamente expostas ao vírus pouco tempo depois.