Conheça 6 sintomas da glicose alta, e aprenda como controlá-la

A hiperglicemia acontece quando há grandes quantidades de açúcar circulando no organismo, e pode causar problemas de saúde

atualizado 25/12/2021 11:56

Imagem colorida de pessoa medindo sua glicoseTowfiqu Photography/ Getty Images

A hiperglicemia é uma situação caracterizada pela grande quantidade de açúcar circulante no sangue mesmo horas após a refeição, quando se verificam valores acima de 180 mg/dL de glicose circulantes várias vezes ao longo do dia. O quadro pode acontecer devido à quantidade insuficiente de insulina circulante no organismo ou ser consequência do sedentarismo, obesidade e alimentação inadequada, por exemplo.

A presença de grandes quantidades de açúcar circulante no sangue pode favorecer o aparecimento de alguns sinais e sintomas, como por exemplo:

  1. Enjoo;
  2. Dor de cabeça;
  3. Sede excessiva;
  4. Vontade frequente para urinar;
  5. Sonolência;
  6. Cansaço excessivo.

Na maioria dos casos, a hiperglicemia está relacionada com o diabetes, já que é possível notar alteração na produção ou atividade da insulina e do glucagon, os hormônios responsáveis pela regulação da glicemia.

O que fazer

Para regular os níveis de açúcar no sangue e, assim, controlar e evitar a hiperglicemia, é importante adotar hábitos de vida saudáveis e seguir as orientações do médico, como:

  • Praticar atividade física de forma regular, para fazer com que o açúcar seja utilizado como fonte de energia, evitando o acúmulo no sangue;
  • Ter uma alimentação saudável e equilibrada, orientada pelo nutricionista, sendo recomendado dar preferência a alimentos integrais e vegetais e evitando alimentos ricos em carboidratos ou açúcares;
  • Manter o peso ideal através de exercícios e alimentação adequada, pois assim é possível garantir melhor atividade da insulina e evitar o acúmulo de açúcar no sangue;
  • Medir regularmente a glicemia, para verificar a concentração de açúcar ao longo do dia e, dessa forma, avaliar a necessidade de ir ao hospital.

Quando a glicemia é muito elevada, pode ser indicado pelo médico que seja aplicada uma injeção de insulina na tentativa de regularizar os níveis de açúcar. Esse tipo de tratamento é mais comum no caso de diabetes do tipo 1. No caso da diabetes tipo 2, é indicado o uso de medicamentos e, caso não haja controle da glicemia, pode ser necessário uso de insulina também.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

A hiperglicemia acontece quando não há quantidades suficientes de insulina circulante no sangue, que é o hormônio relacionado com o controle da glicemia. Nesses casos, o excesso de açúcar não é removido, caracterizando a hiperglicemia. Essa situação pode estar relacionada com:

  • Diabetes do tipo 1, em que há deficiência completa na produção de insulina pelo pâncreas;
  • Diabetes do tipo 2, em que a insulina produzida não consegue ser utilizada corretamente pelo organismo;
  • Administração de dose errada de insulina;
  • Estresse;
  • Obesidade;
  • Sedentarismo e alimentação inadequada;
  • Problemas no pâncreas, como pancreatite, por exemplo, uma vez que o pâncreas é o órgão responsável pela produção e liberação de insulina.

Caso a pessoa tenha maior probabilidade de ter hiperglicemia, é importante que o controle da glicemia seja feito diariamente através do teste de glicose, que deve ser feito em jejum, antes e após as refeições, além de mudar os hábitos de vida através da melhora dos hábitos alimentares e prática de atividade física. Dessa forma, é possível saber se os níveis de glicose estão controlados ou se a pessoa apresenta hipo ou hiperglicemia.

Com informações do portal Tua Saúde

Mais lidas
Últimas notícias