A cetose é um processo natural que acontece quando a produção de energia para o organismo é feita a partir da queima de gordura porque não há quantidade suficiente de glicose disponível no corpo. A cetose pode acontecer devido a períodos de jejum ou como consequência de uma dieta restrita em carboidratos.

Na falta de glicose, que é a principal fonte de energia do organismo, o corpo passa a produzir corpos cetônicos (resultado da destruição das células de gordura) como fonte de energia. Esses corpos cetônicos são transportados para o cérebro e os músculos, permitindo o bom funcionamento do corpo.

Um dos sintomas mais característicos e indicativos de que a pessoa está em cetose é o hálito, que passa a ter um cheiro semelhante à acetona. Os sintomas de cetose podem variar de pessoa para pessoa e normalmente desaparecem depois de alguns dias.

Os principais sintomas de que o organismo está em cetose são:
Hálito com sabor metálico ou mau hálito, chamado de halitose;
Aumento da vontade de urinar;
Aumento da sede;
Diminuição da fome;
Dor de cabeça;
Náusea;
Fraqueza.

A confirmação da cetose pode ser feita por meio da avaliação da quantidade de corpos cetônicos na urina e no sangue. A presença de corpos cetônicos na urina pode ser medida por meio de um exame convencional, observando a mudança de cor da fitinha. Apesar desse tipo de exame ser mais rápido, a concentração de corpos cetônicos na urina pode variar de acordo com o grau de hidratação da pessoa, ou seja, podem acontecer resultados falso-positivos, quando a pessoa está desidratada, ou falso-negativos, quando a pessoa bebe muita água.

Para confirmar a cetose por exame de sangue, uma pequena quantidade é coletada e enviada para o laboratório. Normalmente é considerado que a pessoa está em cetose quando a concentração de corpos cetônicos no sangue é acima de 0,5 mmol/L.

Cetose e cetoacidose são a mesma coisa?
Apesar de serem caracterizados pela presença de corpos cetônicos no sangue, na cetoacidose, o aumento acontece devido a alguma doença, enquanto a cetose é um processo natural.

A cetoacidose é normalmente relacionada à diabetes tipo I. Nesses casos, devido à diminuição de glicose dentro das células, o organismo passa a produzir corpos cetônicos na tentativa de gerar energia. A produção em excesso leva à diminuição do pH do sangue, situação que é chamada de acidose, que pode levar ao coma e, até mesmo, ao óbito, quando não solucionada.

Efeitos da cetose para a saúde
Como consequência do jejum ou de uma dieta restrita, o organismo passa a utilizar a gordura armazenada no corpo como fonte de energia, o que pode auxiliar no processo de emagrecimento, por exemplo.

No entanto, apesar de a cetose ser um processo normal do corpo, que gera energia e pode auxiliar na perda de gordura, é importante controlar a quantidade de corpos cetônicos no sangue, uma vez que elevadas concentrações podem tornar o sangue muito ácido. Assim, é necessário que o jejum e as dietas restritas sejam feitas apenas sob orientação e acompanhamento médico ou de nutricionista.

Dieta cetogênica
A dieta cetogênica tem como objetivo fazer com que o corpo passe a utilizar como fonte de energia apenas a gordura proveniente do alimento e do corpo. Dessa forma, essa dieta é rica em gordura e proteínas e pobre em carboidratos, o que faz com que o corpo passe a quebrar a gordura com o objetivo de gerar os corpos cetônicos, que são transportados para o cérebro e os músculos.

Nesse tipo de dieta, o consumo de carboidrato representa de 10% a 15% das calorias diárias, e o consumo de alimentos ricos em gordura é aumentado. Assim, o nutricionista pode recomendar a ingestão de nozes, sementes, abacate e peixes e restringir a de frutas e grãos, por exemplo.

Pelo fato de a dieta cetogênica ser muito restrita, o organismo passa por um período de adaptação, em que podem ocorrer diarreia ou prisão de ventre, náuseas e vômitos, por exemplo. Dessa forma, é importante o acompanhamento, para que possam ser feitas adaptações e o controle de corpos cetônicos na urina e no sangue.

Com informações do portal Tua Saúde.