Vereadora suspensa por briga em SP pede anulação da punição

Cris Monteiro (Novo) alega que colega que votou por sua suspensão por 60 dias não poderia ter participado da sessão que definiu punição

atualizado 08/12/2022 18:17

Cris Monteiro Divulgação

São Paulo – A vereadora de São Paulo Cris Monteiro (Novo), que recebeu uma suspensão de 60 dias na semana passada da Corregedoria da Câmara Municipal por causa de uma briga ocorrida em novembro do ano passado com a vereadora Janaína Lima (MDB), sua antiga colega de partido, protocolou nesta quinta-feira (8/12) um pedido de anulação da sessão que resultou em sua punição.

O pedido ainda será analisado pela Corregedoria da Câmara paulistana. A Procuradoria da Câmara também está analisando o caso e avalia que possíveis medidas serão tomadas.

A assessoria jurídica de Cris questiona a nomeação do vereador Marlon Luz (MDB), do partido de Janaína, para a Corregedoria. Para a parlamentar, a indicação do vereador não contou com assinatura de aprovação da presidente em exercício da Câmara, Rute Costa (PSDB), e essa formalidade burocrática o impediria de ter participado da sessão como um dos vereadores-corregedores.

Luz foi um dos quatro parlamentares que votou pela punição. Cris Monteiro pede agora que a sessão da cassação seja anulada até que esse vicio formal seja corrigido.

Cris e Janaína, então no mesmo partido, brigaram pelo tempo de fala das duas no plenário da Câmara. A briga começou no plenário e terminou no banheiro com agressões físicas.

Janaína terminou expulsa do Novo por causa do episódio. Cris obteve uma ordem judicial protetiva impedindo a aproximação da ex-colega.

A Corregedoria da Câmara analisou o caso por quase um ano e terminou por suspender as duas por 60 dias. Sem perder salários ou verbas de gabinete, elas estão impedidas de participar de sessões do Legislativo municipal.

Mais lidas
Últimas notícias