*

Paula Andrade

IStock

O futuro financeiro do seu filho te preocupa?

 

Certo dia estava atualizando os meus dados com a minha gerente de banco, quando ela fez uma pergunta que me tirou da distração das redes sociais na qual estava imersa: o que você pretende deixar de herança para o seu filho? Bens móveis, imóveis, investimentos, negócios? Abri a boca e saiu a resposta mais sincera que provavelmente essa gerente ouvira na vida: nada!

Não pretendo deixar nada de bens materiais ou financeiros como herança para o meu filho. E é isso.

Eu poderia continuar esse texto com um monte de blábláblá sobre os “verdadeiros valores da vida”, “presença”, “tempo juntos”, “momentos inesquecíveis em família”… Mas esse não é um texto de autoajuda. É sobre dinheiro mesmo e como lidamos com ele.

Vejo muitos amigos se preocupando em trabalhar muito para juntar muito dinheiro, comprar um monte de coisas e, assim, garantir que os filhos entrem na vida adulta com uma “vantagem” financeira. No entanto, sinto muito informar que isso não é garantia de nada. Pior, isso pode ser um tiro no pé se não ensinarmos antes para as crianças o verdadeiro valor do dinheiro e do trabalho.

Quantas histórias você conhece de pessoas que ganharam ou herdaram bens e empresas e, no final da vida, estavam quebrados? Posso citar alguns casos famosos? Jorge Guingle, Michael Jackson, Whitney Houston e centenas de outros. Segundo pesquisa realizada nos Estados Unidos, cerca de um terço dos ganhadores da loteria vão à falência alguns anos depois de receber os primeiros milhões. Ou seja, ter dinheiro por si só não é garantia de uma vida confortável a longo prazo.

Acredito que você já sabia de tudo que escrevi acima. Mas, mesmo assim, ainda se preocupa em deixar, pelo menos, um carro ou um apartamento para seu filho. Uma casinha quitada, para ele não ficar sem teto. Ou um aluguel, para dias de crise…

Não há mal algum nisso. Só não arrisque todas as suas fichas nessa falta garantia.

Falsa garantia? Infelizmente, sim…

A verdadeira herança financeira que você pode deixar para o seu filho é educá-lo para dar valor ao dinheiro. É ensiná-lo a se planejar, a usar melhor o dinheiro que ele ganha, com consciência. A resistir às tentações da publicidade, a esperar o melhor momento para fazer uma compra, ensinar a economizar e a ver as maravilhas dos juros compostos. Toda essa informação e conhecimento nunca poderão ser retiradas do seu filho e são a chave para um futuro bem-sucedido financeiramente.

Converse com os seus filhos sobre dinheiro. Sobre o orçamento da família. Mostre o valor do trabalho (que dinheiro não nasce em árvore) – porém, de forma positiva, né? Para que seu filho não veja o trabalho como um fardo, mas sim como um meio para se alcançar sonhos. Alias, o próprio “dinheiro” é apenas um instrumento para se alcançar sonhos e não um fim em si mesmo"

Não se preocupe em construir um lindo ninho para deixar de herança para seus filhos. Ensine eles a voar e, assim, poderão ir muito mais alto e construirão ninhos incríveis em qualquer lugar que desejarem.

Paula Andrade é escritora e jornalista especializada em economia. É autora do livro escolar O Barato da Dona Baratinha e mamãe do Otávio, 3 anos, que já guarda moedinhas para comprar sozinho seus hotwheels

 
 


COMENTE

OrçamentodinheiroHerançaBenseducação financeira
comunicar erro à redação

Leia mais: Ponto de vista