*
 

Um dos principais defensores da população LGBT dentro da Igreja Católica, o padre jesuíta norte-americano e consultor do Vaticano James Martin afirmou que católicos precisam parar de tratar homossexuais “como leprosos”. Em entrevista à BBC Brasil publicada neste domingo (3/6), o religioso afirmou que fieis devem aceitar gays como membros da igreja.

“Tenho ouvido muitas histórias, as mais horríveis, sobre como a comunidade LGBT tem sido maltratada pela Igreja. Algumas vezes padres simplesmente rotulam pessoas LGBTs como sujas. Precisamos parar de tratar pessoas LGBT como se fossem leprosos”, afirmou o jesuíta à BBC.

Martin, que foi nomeado em 2017 pelo papa Francisco como consultor de comunicação do Vaticano, lançou, na última semana, o livro Uma ponte a ser construída: um novo relacionamento entre a igreja e as pessoas LGBT. Para o religioso, os homossexuais são hoje a população mais marginalizada na Igreja Católica.

O padre afirmou ainda que “está claro” que a doutrina católica é contra o casamento homossexual, mas, ao mesmo tempo, disse existir dentro da Igreja um movimento de religiosos empenhados em enxergar o “lado bom” de tais relacionamentos. “Estamos obsessivamente preocupados com a moralidade sexual das pessoas LGBT”, completou.