Presidente turco anuncia boicote a produtos eletrônicos dos EUA

Erdogan ainda pediu que população converta seus dólares em liras turcas, para ajudar a fortalecer a moeda local

Presidency Of The Republic Of Turkey

atualizado 14/08/2018 11:07

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta terça-feira (14/8) que seu país boicotará produtos eletrônicos feitos nos Estados Unidos. A decisão é anunciada em meio à disputa diplomática que detonou uma crise cambial na lira turca.

Washington impôs sanções contra dois ministros de Erdogan devido ao julgamento de um pastor evangélico norte-americano na Turquia por acusações de terrorismo, e na semana passada aumentou tarifas a exportações de metais turcos.

A lira perdeu mais de 80% de seu valor neste ano e atingiu uma baixa histórica em relação ao dólar na última segunda-feira, abalada pelos receios com os clamores de Erdogan por taxas de juros mais baixas e pela deterioração dos laços com os EUA.

Sem mostrar sinais de que pretende recuar no impasse com os EUA, Erdogan sugeriu que a Turquia deve parar de comprar iPhones feitos nos EUA e, em vez disso, adquirir os aparelhos da coreana Samsung e da turca Vestel. “Se eles têm o iPhone, há Samsung por toda parte. Nós temos a Vestel”, comentou o presidente, sem dizer quando pretende impor o boicote.

Erdogan disse ainda que seu governo oferecerá incentivos adicionais a empresas que planejam investir em seu país. O presidente também renovou o pedido para que os turcos convertam seus dólares em liras turcas, a fim de ajudar a fortalecer a moeda local.

“Junto com nosso povo, nós nos oporemos decisivamente contra o dólar, os preços em forex, a inflação e as taxas de juros. Protegeremos nossa independência econômica nos unindo estreitamente”, disse ele, a membros de seu partido AK em um discurso.

Últimas notícias