*
 

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou nesta sexta-feira (14/7), em presença do chefe do Executivo dos Estados Unidos, Donald Trump, que nada “jamais” separará os dois países, que têm uma amizade histórica.

Macron discursou brevemente ao fim do desfile militar em comemoração ao dia da queda da Bastilha. Ele avaliou que a presença de Trump em Paris “é o sinal de uma amizade que atravessa os tempos”. “Os EUA são um dos amigos que no passado nos acudiram”, lembrou o francês. Ele se referia em particular à entrada dos EUA com os aliados na Primeira Guerra Mundial, que agora completa cem anos.

O centenário foi a razão do seu convite a Trump à tradicional parada militar de 14 de julho em Paris, na qual por isso mesmo houve tropas americanas. O chefe de Estado francês agradeceu a seu colega e a seu país “pela decisão tomada hás cem anos”.

Como é habitual nesta data, Macron prestou homenagem às forças armadas pelo seu papel de proteção. “Permitem-nos viver com as regras que estabelecemos”.

Este discurso foi o último ato em presença de Trump — que desde sua chegada ontem a Paris foi acompanhado por sua esposa, Melania —, de quem Macron se despediu efusivamente e que em seguida foi direto para o aeroporto para voltar a seu país.