*
 

Os principais jornais ao redor do mundo repercutiram a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que deixou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mais perto da grades, no âmbito da Lava Jato. Os veículos chamam atenção para o possível encarceramento do petista após a rejeição do habeas corpus preventivo no qual ele pedia para exaurir recursos a todas as instâncias em liberdade.

O norte-americano The New York Times lançou em seu portal a seguinte manchete: “Lula, ex-presidente do Brasil, pode ser preso, decide Corte”. O tradicional jornal afirmou que o julgamento do habeas corpus “forçou os juízes a enfrentarem uma questão com implicações de longo alcance para muitas outras figuras poderosas enredadas na Lava Jato, incluindo o atual presidente, Michel Temer”. Questionou ainda sobre “em que ponto do processo de apelação pode o réu ser preso”.

Reprodução

O periódico ressaltou que o Supremo deu “sua resposta” acerca do tema: decidiu manter o status quo, “no qual condenados podem ser encarcerados após sentença de segunda instância”. “Com a decisão nas mãos, é esperado que Sérgio Moro expeça um mandado de prisão contra o ex-presidente em questão de dias”.

Já o El País, da Espanha, afirmou: “Apesar de o Brasil ser o reino do imprevisível, dos meandros burocráticos, das reviravoltas de última hora, tudo indica que Lula está a ponto de se tornar um presidiário nos próximos dias”.

O veículo diz que a prisão terá “enormes consequências políticas”. Isso porque Lula “encabeçava as preferências de voto para as eleições presidenciais de outubro”.

Reprodução

A BBC, de Londres, também chamou atenção para a proximidade de uma eventual prisão de Lula e sobre os impactos que ela terá nas eleições deste ano. Quanto ao julgamento, a emissora ressaltou a “maratona” do STF, que terminou na madrugada desta quinta-feira (5/4).

Reprodução