Nova espécie de ancestral do Homo sapiens é descoberta em Israel

Vestígios apontam que indivíduos viveram entre 140 e 120 mil anos atrás, mesma época em que outras espécies de humanos andavam pelo planeta

atualizado 25/06/2021 11:45

Pesquisadores descobriram um tipo até então desconhecido de ancestral humano, que viveu há mais de 100 mil anos, em Israel. Os fragmentos do crânio e da mandíbula foram encontrados há 10 anos, mas apenas na quinta-feira (24/6) os pesquisadores divulgaram suas conclusões. As informações são do Haaretz.

Os “Homo de Nesher Ramla” teriam vivido entre 140 mil e 120 mil anos atrás e teriam sido os últimos sobreviventes de um grupo humano muito antigo, surgido há cerca de 400 mil anos. A suspeita é de que eles tenham se espalhado para fora da região e dado origem aos neandertais na Europa e na Ásia.

“Os fósseis mudam a forma como vemos a evolução e, especificamente, os neandertais, que acreditávamos terem surgido na Europa, e não no Oriente Médio”, afirmou um dos coordenadores da pesquisa, professor Israel Hershkovitz. “O neandertal europeu, na verdade, começou aqui no Levante (área geográfica e histórica onde Israel se encontra) e migrou para a Europa, enquanto acasalava com outros grupos de humanos”, explica a pesquisadora Rachel Sarig.

Os vestígios foram encontrados a cerca de 12 metros de profundidade, em uma região próxima à cidade de Ramla. Pesquisadores acreditam que esta pode ter sido uma área reservada para a caça do gado selvagem, cavalos e cervos, em função das milhares de ferramentas de pedra e dos ossos de animais caçados encontrados.

De acordo com o pesquisador Yossi Zaidner, a descoberta das ferramentas também foi importante, uma vez que sugere que houve interação entre grupos diferentes de humanos.

“Acreditamos que só é possível aprender a fazer as ferramentas por meio do aprendizado visual ou oral. Nossas descobertas sugerem que a evolução humana está longe de ser simples e envolveu muitas dispersões, contatos e interações entre diferentes espécies de humanos.”

 

 

Mais lidas
Últimas notícias