Com o novo decreto assinado pelo Papa Francisco, reconhecendo um segundo milagre da então beata Irmã Dulce, a religiosa será proclamada santa.

As informações são do Vatican News, canal oficial de comunicação do Vaticano. O site afirma que a cerimônia acontecerá em “solene celebração de canonizações”.

Conhecida como “O Anjo bom da Bahia”, Maria Rita Lopes de Souza Brito, a Irmã Dulce, é recordada por suas obras de caridade e de assistência aos pobres e necessitados.

Ela nasceu em Salvador, no dia 26 de maio de 1914, e faleceu na mesma cidade, em 22 de maio de 1992.

Irmã Dulce foi beatificada 19 anos após a sua morte, em 22 de maio de 2011. O primeiro milagre atribuído a ela aconteceu em Itabaiana (SE), em 2001. Na ocasião, Cláudia Cristiane dos Santos foi curada de uma grave hemorragia logo depois de dar à luz.

Para ter a santidade reconhecida pela Igreja Católica, é preciso de um segundo milagre, o que finalmente aconteceu.

Um decreto publicado na mesma ocasião diz respeito a outro brasileiro, atribuindo às virtudes heróicas do Servo de Deus Salvador Pinzetta (nome de batismo: Hermínio Pinzetta), religioso da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos; nascido em Casca, no Rio Grande do Sul (Brasil) em 27 de julho de 1911 e falecido em Flores da Cunha (RS) em 31 de maio de 1972.