Europa deve ter fornecimento de vacinas normalizado em três semanas

Até o momento, o bloco de países aprovou o uso dos imunizantes desenvolvidos pela Pfizer/BioNTech, Moderna e Oxford/AstraZeneca

atualizado 28/02/2021 11:40

Vacinação na UBS 5 em CeilândiaRafaela Felicciano/Metrópoles

A União Europeia (UE) espera que entre duas e três semanas a produção e distribuição de vacinas contra a Covid-19 aos países do grupo esteja normalizada. A informação foi compartilhada por Elisa Ferreira, comissária de Coesão e Reformas da UE.

Em entrevista à agência de notícias espanhola EFE, Elisa disse que, em até três semanas, a distribuição terá “níveis muito mais fortes do que até agora”. A comissária afirmou que, após a chegada dos imunizantes, o principal desafio dos países será administrá-los.

Além disso, Ferreira disse que, por mais que países como Estados Unidos, Reino Unido e Israel estejam na liderança mundial na imunização, a Europa não está atrasada na campanha.

“Quero divergir um pouco dessa ideia de que estamos muito atrasados, estamos a trabalhar com grande segurança para que os cidadãos possam ter confiança. [As vacinas da Europa] passam por um procedimento muito cuidadoso, muito detalhado de verificação, de teste e de confirmação da segurança da vacina”, ressaltou.

0

Até o momento, o grupo aprovou o uso dos imunizantes Pfizer/BioNTech, Moderna e Oxford/AstraZeneca. Elisa disse que existe possibilidade de que a União Europeia aceite a vacina russa, Sputnik-V, mas ressalta que o imunizante deverá passar pelo mesmo processo rigoroso de aprovação ao qual foram submetidas as outras vacinas.

“A Europa está disponível também para aceitar a vacina russa se quiser (solicitar à licença de utilização na UE), mas tem de sujeitar-se à mesma disponibilização de dados, de informação, com o mesmo critério”, pontuou.

Últimas notícias