Ações do Twitter despencam após suspensão da compra por Elon Musk

No pré-fechamento da Bolsa de NY, o valor bateu US$ 46,09, preço bem abaixo daquele comercializado por Musk, que foi de US$ 50

atualizado 13/05/2022 15:13

Após o anúncio de Elon Musk sobre a suspensão temporária da compra do Twitter, as ações da rede social despencaram na Bolsa de Nova York. Às 8h (de Brasília), as negociações caíram 15,79% no pré-mercado. No ponto máximo, chegou a perder 17,9% do valor.

Assim, as ações passaram a ser vendidas, nos momento mais baixos, a US$ 44,8. No pré-fechamento, o valor bateu US$ 46,09. Ou seja, um preço bem abaixo daquele comercializado por Musk, que foi de US$ 50.

Em sua conta no próprio Twitter, o bilionário afirmou que vai esperar o resultado de uma pesquisa sobre contas falsas e spams na rede social. Segundo Musk, o objetivo é constatar se essas modalidades representarão menos de 5% dos usuários da plataforma.

Veja o post dele:

“O acordo do Twitter foi temporariamente suspenso, por detalhes pendentes sobre o cálculo de que contas falsas/spam representam, de fato, menos de 5% dos usuários”, disse o proprietário da Tesla. Como base, ele compartilhou uma reportagem da Reuters sobre a estimativa feita pelo Twitter. A divulgação, segundo a reportagem, veio alguns dias antes da compra da rede social por Elon Musk.

Breno Souto, head de insights global da ElifeGroup (holding que contempla a consultoria Elife, a plataforma BuzzMonitor e a SA365), avalia que, apesar da queda dos papeis da empresa, o usuário final do Twitter “não deve experimentar nenhuma mudança imediata, exceto os já tradicionais compartilhamentos de notícias e piadas sobre o tema e aparições do mesmo nos Trending Topics”.

Mais lidas
Últimas notícias