Pesquisadores e artistas reconstroem três rostos de múmias egípcias através de resquícios de DNA

Indivíduos possuem mais de 2000 anos de idade. Cientistas de empresa especializada em biotecnologia utilizaram o sequenciamento das múmias

atualizado 28/09/2021 20:22

Genética permite reconstruções faciais de três múmias egípciasParabon NanoLabs

Pesquisadores e artistas utilizaram o DNA de indivíduos de mais de 2000 anos de idade para criar reconstruções faciais de três múmias egípcias. As reconstruções, presentes na imagem deste post, foram feitas através de uma nova técnica de reconstrução baseada nos resquícios de DNA das múmias.

O material genético dos três homens egípcios, por conseguinte, foi sequenciado ainda em 2017 por pesquisadores do Instituto Max Planck da Alemanha. Agora, cientistas da empresa Parabon NanoLabs – especializada em biotecnologia do DNA – utilizaram o sequenciamento das múmias egípcias para tentar entender como eram os seus rostos, antes de serem mumificados.

Saiba mais no Socientifica, parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias