Aumenta o número de mortos após atentado em Cabul

Ataque foi reivindicado pelo Estado Islâmico e ocorreu no momento em que governo afegão e o Talibã tentam negociar acordo de paz

atualizado 03/11/2020 11:53

Reprodução/Twitter

De acordo com informações do governo afegão, o número de mortos no ataque de segunda-feira (2/11) à Universidade de Cabul aumentou para pelo menos 35. À Reuters disseram que o atentado deixou aproximadamente 50 pessoas feridas.

Um grupo armado com pistolas e fuzis invadiu o local e abriu fogo contra estudantes. Além disso, enfrentaram as forças de segurança por horas. O Estado Islâmico reivindicou a autoria do ato.

O presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, caracterizou como “ato de desprezível terror”. Ele já lecionou na universidade e anunciou um dia nacional de luto em homenagem às vítimas e ofereceu suas condolências ao país e às famílias.

O Afeganistão sofre com a violência, enquanto membros do governo e do Talibã se reúnem no Qatar para tentar selar um acordo histórico de paz.

0

Fathullah Moradi, que testemunhou o ataque, contou à Reuters que os autores do atentado atiraram em todos os alunos que viam.

A instituição de ensino é a mais antiga do país. A estimativa é de que pelo menos 17 mil pessoas estudem no centro educacional.

No momento do ataque, a universidade realizava uma feira de livros. Jornais locais afirmam que os terroristas também teriam usado granadas durante o atentado.

Últimas notícias