Atentados no Sri Lanka seriam represália a ataque na Nova Zelândia

Grupo jihadista Estado Islâmico assumiu autoria dos ataques que deixaram ao menos 300 mortos no domingo de Páscoa

atualizado 23/04/2019 11:01

Colombo – As primeiras informações sobre a investigação dos atentados que causaram mais de 300 mortes no Sri Lanka, no último domingo (21/04/19), mostram que o grupo National Thowheeth Jama’ath (NTJ) agiu em represália ao recente massacre que matou 50 pessoas em mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia.

“As investigações preliminares revelaram que o ocorrido no Sri Lanka foi em represália ao ataque contra os muçulmanos de Christchurch”, declarou ao Parlamento Ruwan Wijewardene, ministro da Defesa.

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) assumiu nesta terça-feira, 23, a autoria da série de atentados no Sri Lanka. “Os executores do ataque que teve como alvo os cidadãos dos países da coalizão e cristãos antes de ontem são combatentes do Estado Islâmico”, disse, em comunicado, uma fonte de segurança à agência “Amaq”, que é vinculada aos jihadistas, cuja autenticidade não pôde ser verificada.

Na última segunda-feira (22/04/19), o governo responsabilizou o NTJ e disse que não entende “como uma pequena organização poderia fazer tudo isso”. “Estamos investigando uma possível ajuda estrangeira e seus outros vínculos, como formaram homens-bomba, como produziram as bombas”, disse um porta-voz, acrescentando que o governo “buscará ajuda de outros países” nas investigações. (AFP e EFE)

Últimas notícias