*
 

Antes do confinamento, os cinco participantes desabafaram sobre os receios de viver em um Fusca. Ao contrário do que todos pensam, ficar sem celular e se manter longe da família não foram os maiores problemas mencionados pelos fusqueiros.

Andreza, por exemplo, preocupa-se com as dores nas pernas. Já Gustavo pensa na comida. Mercês e Henrique estão tranquilos e não se incomodam com nada disso.

Raphael mencionou algo que pode acontecer depois de uma refeição. Em meio aos risos, ele imaginou: “E se der uma dor de barriga na gente?!”

Os fusqueiros não precisam se preocupar com a alimentação e a higiene pessoal. A cada três horas, eles sairão do carro para comer e ir ao banheiro. A produção do reality irá elaborar provas que darão direito aos vencedores de entrar em contato com a família e/ou amigos para matar a saudade.

COMENTE