Omar Aziz após PGR pedir arquivamento de denúncias da CPI: “Vergonha”

Senador que presidiu os trabalhos afirmou que pedido da vice-procuradora Lindôra Araújo é "desrespeito à memória e às vítimas" da pandemia

atualizado 25/07/2022 19:57

Omar AzizIgo Estrela/Metrópoles

Responsável por conduzir os trabalhos da CPI da Covid no Senado Federal, Omar Aziz (PSD-AM) criticou, nesta segunda-feira (25/7), o pedido feito pela vice-procuradora-geral da República, Lindôra Maria Araújo. A número 2 do órgão solicitou que o Supremo Tribunal Federal (STF) arquive cinco investigações contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) apresentadas pelas investigações do Congresso Nacional.

CPI da Covid: PGR pede para STF arquivar ações contra Bolsonaro

“O pedido de arquivamento das investigações abertas a partir do que levantamos na CPI da Covid é um desrespeito à memória e às famílias das mais de 670 mil vítimas da pandemia. Sempre disse que a CPI não buscava vingança. Sei que o trabalho da comissão produziu resultados importantes. Garantimos vacinas nos braços dos brasileiros, lutamos pela vida e investigamos com muita seriedade absurdos cometidos pelo Chefe do Executivo, ministros e assessores”, registrou o amazonense.

“Fizemos isso tudo num trabalho que se desenvolveu sob o olhar atento de milhões de cidadãos. A PGR precisa prestar satisfações à população. Esta decisão é uma vergonha para a instituição”, continuou.

Veja a publicação:

Congressista que atuou como vice-presidente da CPI, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também criticou a solicitação da PGR aos ministros do STF.

“Isso é um insulto às quase 700 mil vítimas da COVID-19 no país. Augusto Aras, com este ato, se torna cúmplice dos crimes cometidos e rebaixa a PGR à condição de cabo eleitoral de Bolsonaro. Não aceitaremos e recorreremos, por todos os meios, desta decisão”, pontuou.

Mais lidas
Últimas notícias