Artigo: como são os relacionamentos com os cozinheiros?

Muita gente sonha em casar com um chef profissional, mas a realidade não é tão glamourosa assim

É o sonho de muita gente ter um marido ou uma esposa cozinheiros profissionais. Imagine só, ter todas aquelas refeições maravilhosas no conforto do lar, ainda feitas pela pessoa que você ama e ainda conhece seu paladar. Mas a realidade é meio diferente da idealização.

Apesar da glamourização da profissão, já é de conhecimento comum que a gastronomia profissional trata principalmente de abdicação da própria vida em detrimento da carreira. Infelizmente é normal e romantizado que se trabalhe por longas jornadas. O resultado é pouco tempo (e muito cansaço) fora do trabalho. O cozinheiro normalmente ganha dinheiro quando toda a população está se divertindo, ou seja, trabalha a noite, em datas comemorativas e feriados.

Resultado da soma de todos esses fatores é uma pessoa que fica com pouco tempo livre (o regime de folgas é de um descanso por semana e um domingo por mês), o que dificulta momentos de lazer com seus companheiros. Em resumo, seu dia livre para jantar fora, sair, se divertir é, normalmente, no meio da semana, com ambos trabalhando no dia seguinte. O resultado é que muitas vezes quem é dessa área casa com profissionais do comércio, área de saúde ou outros que também tenham horários pouco convencionais.

Outra romantização que não é unânime é o fato de cozinhar em casa. De minha experiência, as opiniões divergem em números iguais: há os que chegam em casa e não querem mais ver panelas e ingredientes e os que querem cozinhar para agradar seus queridos – eu acabo integrando essa segunda parte. Vários cozinheiros se expressam por sua cozinha e é dessa forma que demonstram afeto.

Mas esqueçam essa máxima de que alguém do ramo nunca vai comer porcaria ou querer sair para fast-food. Há uma diferença entre saber produzir comida fina e reconhecer qualidade de sabores e gosto pessoal. São coisas que podem até andar de mãos dadas, mas, via de regra, são independentes.

Em resumo, em um relacionamento com o pessoal dessa área, algumas situações são constantes: provavelmente você vai sim ter refeições melhores feitas em casa; ouvir falar muito sobre comida; ter muita paciência com horários ruins, “mudar” datas comemorativas e presenciar várias perdas de folga e isso só vai acabar quando conseguirem parar de romantizar o excesso de trabalho nesse ramo.