Flamengo e Seleção Brasileira sub-17 vencem com lances polêmicos

Falta de critério, mais uma vez, marcou a atuação da arbitragem em jogo entre os rubro-negros e tricolores

DONALDO HADLICH /CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDODONALDO HADLICH /CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

atualizado 18/11/2019 14:18

O Flamengo está muito perto de conquistar o título do Brasileiro. Nesse domingo (17/11/2019), o rubro-negro venceu o Grêmio fora de casa por 1 x 0 com erro de arbitragem.

O tão polêmico pênalti que deu o gol da vitória ao rubro-negro aconteceu aos 33 minutos do primeiro tempo. Gabigol cruzou, Léo Moura deu um carrinho para cortar o cruzamento e a bola pegou no seu braço. Acontece que a regra mudou. Quando o jogador se projeta no chão e a bola bate no seu braço de apoio, isso não é mais considerada uma infração. Mesmo assim, o árbitro marcou e o VAR não chamou. Erro duplo! Não foi pênalti. O que mais revoltou os gremistas foi que, aos 41 minutos do segundo tempo, aconteceu um lance similar, mas que seria a favor do Grêmio. Vizeu cruzou e Renê deu um carrinho, a bola raspou no seu peito e pegou na mão. Dessa vez, o árbitro não marcou nada corretamente!

Assim como no outro lance, a bola também pegou na mão de apoio. O fato de o árbitro não adotar o mesmo critério gerou reclamações. Mas ele não pode compensar um erro com o outro.

Talvez a grande revolta da maioria dos times, no geral, seja a falta de critérios da arbitragem. É uma bagunça visível durante todo o campeonato.

No mesmo jogo, Gabigol foi expulso. E não foi exagero. Gabigol é o artilheiro em gols e em cartões. Ele tinha acabado de tomar um amarelo por reclamação e ironicamente aplaudiu a arbitragem. Ele precisa esquecer um pouco do juiz e focar no seu futebol. Pela minha experiência dentro de campo, é inadmissível que o árbitro não puna um jogador que reclama de maneira exaltada e a todo momento. Não expulsar é covardia. O jogador não pode ser maior que o jogo.

É Tetra!
O Brasil é tetracampeão da Copa do Mundo sub-17. No Bezerrão, que estava lindo e com a torcida a seu favor, o Brasil venceu de virada o México. Mas a reação brasileira começou depois que a arbitragem marcou um pênalti polêmico.

Gabriel Veron, do Brasil, passou a bola e, na sequência, Algomez deu uma entrada no jogador brasileiro. O árbitro deixou seguir, mas o VAR chamou para ver as imagens e o pênalti foi marcado. Muita gente ficou na dúvida, pois Veron tinha completado o passe e saltou quando recebeu o carrinho. Mas imagina se ele não tivesse saltado? O jogador não pode ficar esperando o contato. Saltar não anula a ação faltosa do adversário. E se ele já tinha passado ou não, não faz diferença, tomou o carrinho do mesmo jeito. Pênalti bem marcado.

Grande vitória da nossa Seleção, com aquela ponta de esperança para o futuro do nosso futebol.

Últimas notícias