Brasileirão: análise das polêmicas de arbitragem da última rodada

O fim do campeonato definiu o Santos como vice-campeão, a permanência do Ceará na elite e o rebaixamento do Cruzeiro

Vinnicius Silva/Cruzeiro

atualizado 02/01/2020 13:04

“É hora de dar tchau!”, o Brasileirão 2019 chegou ao fim. Neste domingo (08/12/2019), a última rodada definiu o Santos como vice-campeão, a permanência do Ceará na elite e o rebaixamento do Cruzeiro. Para a arbitragem foi o encerramento de um campeonato não tão bom. Praticamente todas as rodadas tiveram polêmica. Inclusive na última.
Vamos analisar!

Santos 4 x 0 Flamengo

O terceiro gol do Santos, marcado por Eduardo Sasha, foi irregular. Na origem do gol, antes do cruzamento de Soteldo, Marinho fez falta em Felipe Luís. O árbitro mandou seguir. O VAR deveria ter chamado o árbitro para anular o gol.

Corinthians 1 x 2 Fluminense

Aos 27 minutos do primeiro tempo, Evanilson marcou o segundo gol dele e do Fluminense. O bandeirinha marcou o impedimento, mas o VAR confirmou o gol com a tecnologia.

No segundo tempo, o árbitro marcou pênalti para o Corinthians, de Marcos Filipe em Jadson. Mas o VAR, corretamente, chamou o árbitro para anular o penal e marcar a falta clara de Janderson em Nino, que aconteceu antes do penalidade.

Vasco 1 x 1 Chapecoense

Aos 36 minutos do segundo tempo, Maurício Ramos, da Chape, colocou a mão na bola dentro da sua área. O árbitro marcou apenas escanteio. Ainda bem que o VAR estava ligado e chamou para revisão. Pênalti para o Vasco. Muito claro!

Botafogo 1 x 1 Ceará

O Ceará empatou o jogo com um gol de pênalti bem polêmico. Marcinho, do Botafogo, tentou interceptar o cruzamento mas a bola bateu no seu braço. O árbitro mandou seguir mas o VAR o chamou para rever as imagens. O árbitro voltou atrás e marcou a penalidade. Lance extremamente difícil.

O braço do jogador botafoguense estava em posição natural e bem próxima ao corpo, não deveria ter sido marcado o pênalti. O VAR nem precisava ter chamado. Esse lance só não gerou mais polêmica porque a derrota do Cruzeiro foi também fora de campo.

Cruzeiro 0 x 2 Palmeiras

O rebaixamento do Cruzeiro para a Série B revoltou alguns torcedores que acompanhavam a derrota no estádio. O árbitro teve que encerrar a partida devido à falta de segurança para torcedores e jogadores antes mesmo do fim do jogo. Fez bem. Na transmissão, enquanto o jogo rolava era possível ouvir o barulho de bombas, rojões, além de ver as cadeiras e alguns objetos sendo arremessados ao campo. No telão era pedido que todos evacuassem o estádio. Lamentável.

Agora é hora da comissão de arbitragem sentar e analisar tudo o que aconteceu no campeonato. Ano que vem não pode ser assim. A arbitragem desse ano ficou na mão do VAR, insegura e sem critério. Que em 2020 seja diferente!

Últimas notícias