*
 

O técnico do México, Juan Carlos Osorio, demonstrou muita irritação nesta segunda-feira (2/7) em Samara ao comentar a derrota por 2 x 0 e a eliminação da sua equipe diante da Seleção Brasileira pelas oitavas de final da Copa do Mundo. O colombiano conhecido pelo estilo cordial e simpático chegou a discutir com jornalistas, demonstrar irritação e criticar que o árbitro italiano Gianluca Rocchi fez “palhaçada” na partida ao defender Neymar.

Na opinião do treinador, Rocchi deu muitas faltas a favor do Brasil. Essas decisões alteraram o ritmo do jogo e fizeram o time mexicano se irritar, segundo Osorio. “Infelizmente a arbitragem nos atrapalhou. Futebol deve ser um jogo viril, de homens, de contato, e não com ‘palhaçadas’. Chegamos a ter quatro minutos de um lance com bola parada. Isso interferiu no comportamento dos jogadores”, criticou.

O possível lance citado por Osorio em que houve uma longa interrupção foi no segundo tempo. Neymar e Layún disputaram um lance e o brasileiro caiu fora do gramado. As imagens de televisão mostraram que o mexicano pisou no tornozelo do atacante. Questionado duas vezes se estava se referindo ao astro do Paris Saint-Germain, o colombiano se recusou a comentar e chegou a discutir com um jornalista que insistiu no tema. “Não mencionei o nome de Neymar”, bradou.

“Nosso plano para marcar o Brasil era fazer um jogo limpo. Pelos primeiros 20 minutos realmente fizemos um grande jogo. Depois disso o árbitro começou a marcar muitas faltas, recebemos muitos cartões amarelos e tivemos de mudar o time”, comentou o colombiano. Osorio explicou que, apesar da derrota por 2 x 0, o México teve 53% de posse de bola e conseguiu ameaçar o gol brasileiro.

Excesso de faltas
Osorio afirmou que o México começou melhor, criou muitas chances e depois não manteve o nível porque, entre outros fatores, foi atrapalhado pela arbitragem. “Penso que a intensidade caiu porque de alguma forma o juiz parou muito o jogo. Permitiu muitas faltas inexistentes. O futebol é um esporte de contato. Ele errou”, comentou o treinador.

O colombiano afirmou que a principal vantagem do Brasil no confronto com o México é ter jogadores mais acostumados a grandes ligas europeias e partidas desse nível. Osorio tem contrato até somente o fim da Copa e é especulado como o próximo técnico da seleção colombiana. Nos próximos dias ele vai se reunir com a diretoria da Federação Mexicana de Futebol para definir o futuro. (Com informações da Agência Estado)