*
 

O técnico Janne Andersson aprovou as eliminações precoces de seleções campeãs do mundo nesta Copa realizada na Rússia. Prestes a disputar um duelo pouco badalado, o treinador prepara a Suécia para enfrentar a Suíça nas oitavas de final do torneio, às 11h desta terça-feira (3/7), em São Petersburgo.

“Alguns dos resultados são puramente fascinantes”, disse Andersson em coletiva de imprensa, em São Petersburgo. “A realidade mostra que as maiores nações não vão vencer sempre. Para mim, saber disso é uma fonte de inspiração maior do que qualquer coisa”, discursou o técnico.

A Suécia terminou em primeiro lugar no Grupo F, que teve a Alemanha na lanterna da chave. Outras campeãs do mundo que já foram eliminadas são Argentina e Espanha, enquanto a Itália nem se classificou para disputar o Mundial – perdeu para a seleção sueca na repescagem das Eliminatórias Europeias.

Contra a Suíça, Andersson espera que os jogadores da Suécia atinjam o potencial deles para a seleção se classificar. “Eu falo isso o tempo todo, é uma situação que devemos chegar ao melhor de cada um. Necessitamos alcançar o mais absoluto alto nível, então vamos ter a chance de bater a Suíça”, comentou o técnico.

Artilheiro
Artilheiro da Suécia na Copa do Mundo até aqui, com dois gols de pênalti, o zagueiro Andreas Granqvist elogiou a seleção adversária. “Sabemos nossos pontos fortes e fracos, e o que nos trouxe tão longe. A Suíça tem se saído bem por um longo período, por isso são favoritos nessa partida. A ideia de que podemos subestimar nosso adversário não existe”, afirmou o defensor, que está prestes a ser pai.

“Estou totalmente focado no jogo contra a Suíça e minha esposa está muito bem”, afirmou o sueco, sem planos de viajar para conhecer a criança durante o torneio. Granqvist também comentou a ausência de Ibrahimovic, deixado de fora da convocação de Andersson: “Outros jogadores puderam dar um passo à frente quando deixamos de contar com um dos maiores do mundo”. (Com informações da Agência Estado)