Renan: motorista afirma que o zagueiro tomou 2L de água após colisão

Motorista revelou que viu Renan vomitar e ingerir dois litros de água após a colisão; O jogador também dirigiu na contramão por 100 metros

A situação do zagueiro Renan, atualmente sem clube após se envolver em acidente que matou Eliezer Pena, está cada vez mais comprometida após o depoimento de duas testemunhas afirmarem que viram o jogador chorando e admitindo que estava bêbado ainda no local do acidente.

Além disso, as duas testemunhas ouvidas pela Polícia Civil de Bragança Paulista revelaram que Renan estava vomitando, ingerindo dois litros de água trazidos por uma pessoa não identificada e urinando às margens da rodovia, segundo o UOL.

Show Player

Vale lembrar que após a chegada da policia no local do acidente, por orientação de um advogado, o jogador se recusou a fazer o teste do bafômetro. Horas após a batida Renan passou por exame que não constatou álcool no sangue, mas a polícia determinou a prisão com base no depoimento dos policiais, que alegaram que ele tinha odor de álcool e que havia confessado ter bebido.

Uma das testemunhas, que dirigia um caminhão a aproximadamente 70km/h. afirmou que foi ultrapassado pelo jogador em uma curva com faixa contínua, onde ultrapassagens são proibidas e viu o carro do atleta seguir na contramão por aproximadamente 100 metros antes de bater com o motociclista.

O relatório policial consta: “Em seguida o condutor do veículo [Renan] entrou no carro e ficou deitado no banco de trás, saiu, sentou no chão, começou a chorar e vomitou. Após alguns instantes, chegou ao local uma moça conduzindo um veículo Ford Ka cor branca, placas não anotadas, a qual foi prestar assistência ao condutor do veículo e lhe deu bastante água para beber, cerca de dois litros, que estava armazenado em uma garrafa pet e logo em seguida o condutor do veículo começou a urinar.”

A mesma testemunha afirmou que alguns instantes depois um homem chegou ao local e retirou objetos (não identificados) do carro de Renan.

A segunda testemunha contou à policia que viu o zagueiro dirigindo pelo acostamento e que, depois da colisão com o motociclista, perguntou a Renan o que tinha acontecido e ouviu o jogador explicando que havia dormido ao volante.

O advogado do atleta que os depoimentos “não condiz com os demais e não parece verossímil. De qualquer forma, o Renan está fazendo todo o possível para auxiliar a família da vítima, no mais o processo seguirá seu caminho e Renan pagará por eventuais erros. Até lá também precisa seguir sua vida.”.

O acidente

O acidente ocorreu no dia 22/7, em Bragança Paulista, na Rodovia Alkindar Monteiro Junqueira. Eliezer Pena, motociclista atingido por Renan, não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Inicialmente, o caso de Renan foi tipificado como um homicídio culposo, no qual não há intenção de matar e que prevê pena de dois a quatro anos de prisão e apena poderia aumentar pois o jogador não estava habilitado para dirigir. Porém, caso a policia e o ministério público entendam que ele assumiu o risco de matar, o crime seria qualificado como homicídio doloso, que tem pena maior e é julgado pelo júri popular.

Vale lembrar que, após pagamento de R$ 242 mil na fiança, o jogador irá responder o processo em liberdade.