*
 

O Brasiliense pediu a exclusão do juiz e do bandeirinha que apitaram a final do Candangão 2018, no sábado (7/4). O Jacaré perdeu o título ao ser derrotado pelo Sobradinho nos pênaltis, mas a história do jogo teria sido diferente caso a dupla não anulasse um gol legítimo da equipe.

Ainda na etapa inicial, o ataque do Brasiliense tramou boa jogada do lado direito. Nunes recebeu de Reinaldo dentro da grande área, girou sobre dois zagueiros e bateu em direção ao gol. A bola iria entrar, mas o atento camisa 7, Filipe Cirne, com receio de alguma intervenção da zaga, completou para as redes.

Mesmo com três defensores da equipe alvinegra dando condições a Cirne, o bandeirinha Ciro Chaban assinalou posição irregular.

Assista:

Na petição endereçada à Comissão Distrital de Arbitragem e à Federação de Futebol do DF, a diretoria do Brasiliense solicita exclusão da dupla de arbitragem em função dos “erros gravíssimos cometidos, alegando absurdo impedimento”.  O documento ainda pede que eles não atuem mais nos jogos do time.

Veja fotos do polêmico lance

 

Indignado, Filipe Cirne diz que a exclusão de Rafael Diniz e Ciro Chaban dos quadros é justa, mas não apaga o mal causado ao clube. “Eles destruíram o trabalho de mais de quatro meses, destruíram sonhos. E o mais revoltante é que não era um lance duvidoso, difícil. Um bandeirinha minimamente preparado teria visto que eu estava muito atrás dos zagueiros deles”, protestou o atacante.

O Metrópoles tentou ligar várias vezes para o presidente da Comissão Distrital de Arbitragem, Geufran Oliveira, mas ele não atendeu nem retornou aos chamados até a última atualização deste texto.

 

 

COMENTE

Campeonato CandangoFinalcandangão 2018Brasiliense. Sobradinhoerros de arbitragem
comunicar erro à redação

Leia mais: Futebol