*
 

Ronaldo Fenômeno saiu em defesa de Neymar, durante a apresentação do Prêmio Melhor do Mundo da Fifa, nesta quarta-feira (4/7). Criticado por seleções e imprensa estrangeiras por suas simulações, o brasileiro tem sido um dos focos das polêmicas da Copa do Mundo.

“Temos que ser mais técnicos nos comentários e menos conversa fiada de boteco”, disse. Nos últimos dias, ex-craques como Diego Maradona, Lothar Matthaus e Gary Lineker têm criticado o comportamento do brasileiro. “O futebol tem muitas visões e interpretações. Eu sou contrário a todas essas opiniões”, insistiu. “Neymar usa de maneira inteligente a sua mobilidade para se defender de pancadas e porradas que sofre”, disse.

“Os árbitros têm sido pouco protetores com ele”, afirmou. “É um grande talento. Quando ocorriam comigo as jogadas violentas, repetidamente eu me sentia injustiçado”, disse. “Essas criticas são bobagens e o resultado que ele entrega para a Seleção é maravilhoso. Ainda não é o melhor desempenho dele”, apontou.

O craque considerou ainda que a imprensa tem papel importante nestas críticas. “Edições de jornais, televisão, precisam de assunto para completar a sua historia. A internet tem uma velocidade muito grande e uns desocupados muito criativos fazendo memes a torto e direito”, atacou.

“Quem perde chora. Quem ganha comemora. Nessa Copa, todos vão chorar, menos um"
Ronaldo Fenômeno, ex-jogador da Seleção Brasileira

“Apontar o dedo é fácil. Mas todos vivem a mesma situação quando estão imersos. O futebol não mudou. todo mundo vai chorar aqui”, destacou. Para o ex-craque brasileiro, o caminho da Seleção para um eventual título é “difícil”. “Ninguém vai ser campeão com um presente, sem sacrifícios. A Seleção está muito concentrada, muito unida. E, mesmo que tentem, dificilmente perderam equilíbrio dentro de grupo”, disse.

França
Derrotado em 1998 contra a França na final da Copa, Ronaldo também comentou a possibilidade de uma semifinal contra o time de Mbappé. “Espero que a França caia fora antes de jogar contra o Brasil”, disse. “Sempre temos problemas jogando contra a França”, afirmou, lembrando de 1986, 1998 e 2006.

Questionado sobre Mbappé como melhor do mundo, ele limitou-se a elogiar. “Tem muita velocidade e é um grande jogador”, completou. (Com informações da Agência Estado)