*
 

A festa estava pronta. A torcida compareceu. E, ainda assim, o Náutico não conseguiu fazer a sua parte. Jogando na Arena Pernambuco, no Recife, perdeu para o Oeste por 2 a 0 e deu adeus às chances de acesso nesta 38.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Além disso, o clube paulista encerrou a sequência de 16 jogos sem vencer e garantiu a permanência na Série B em 2017.

O resultado manteve o elenco do técnico Givanildo Oliveira com 60 pontos, quatro atrás do Bahia, que perdeu para o líder Atlético Goianiense por 2 a 1, em Goiânia. Ficou em quinto lugar Do outro lado da tabela de classificação, o Oeste terminou em 16.º lugar com 41 pontos, igualado com o Paraná e apenas a um do Joinville, que até venceu o Vila Nova por 4 a 2, mas ficou com 40 e fecha o rebaixamento com Tupi, Bragantino e Sampaio Corrêa

Pressionando nos minutos iniciais, o Náutico até dava indícios de que comandaria o confronto, mas foi surpreendido aos 21 minutos. Pedro Carmona apareceu em velocidade na grande área e recebeu de Crysan pela esquerda, já no bico da pequena área. O meia bateu cruzado e superou o goleiro Julio Cesar.

Mais tarde, aos 39 minutos, o próprio Pedro Carmona cobrou um escanteio pela esquerda na marca do pênalti. Felipe Rodrigues disputou no alto com Rafael Pereira e ela sobrou nos pés de Mike Sem marcação, o atacante girou o corpo e bateu firme para o fundo das redes, mais uma vez sem chances para o arqueiro.

Para a segunda etapa, o Náutico voltou muito mais ligado, mas precisando reverter um resultado indigesto. Na base do abafa, o time conseguiu assustar em três lances: primeiro com Rafael Pereira, de fora da área. Depois, em uma cobrança de escanteio, a bola chegou a ficar em cima da linha. E por fim com Rony, que ficou frente a frente com o goleiro Felipe Alves, mas perdeu.

Conforme o tempo passava, os torcedores do Náutico foram deixando a Arena Pernambuco. Um grupo chegou a invadir o gramado para cobrar os jogadores. O atacante Rony foi o mais contestado, até que a Polícia Militar interveio. O jogo ficou paralisado por 19 minutos antes do árbitro apitar novamente.

Em meio a toda confusão, o volante Francis, do Oeste, pediu atendimento médico, supostamente por ter sido agredido por um torcedor. De volta ao futebol e com as arquibancadas praticamente vazias, o Náutico não conseguiu assustar o Oeste, que anulou os contra-ataques pernambucanos.

 

 

COMENTE

Campeonato BrasileiroNáutico
comunicar erro à redação

Leia mais: Futebol