*
 

A Argentina chegou para a Copa do Mundo sem um time definido e conseguiu passar pela fase de grupos aos trancos e barrancos, graças também ao talento de Messi. No entanto, quando encarou a França nas oitavas de final, tentou mais uma vez superar as dificuldades na base da raça, mas foi superada por 4 a 3.

Os jornais argentinos destacaram em suas manchetes neste domingo o fim de uma promissora geração que encerra seu ciclo sem ganhar um título relevante. O “Clarín” estampou na capa: “O fim da geração de Messi”. E prosseguiu: “A seleção perdeu por 4 a 3 para uma França que foi superior e com um Mbappé brilhante. Falhou o plantel de Sampaoli. Termina sem uma Copa a era de Messi Mascherano e Biglia.

O “Olé”, principal diário esportivo do país, escreveu: “Não somos os melhores do mundo”. “França foi muito superior e eliminou a Argentina. Terminou só 4 a 3 por causa do coração da equipe. Um final óbvio de um processo cheio de disparates na condução administrativa e desportiva. Mascherano e Biglia se aposentam da seleção. Há mais ciclos completos. Sampaoli fracassou, mas quer seguir”, prosseguiu.

Em relação a Messi, comentou: “Ter o melhor não nos faz os melhores. Se esperarmos que Messi nos salve sempre, será assim. Temos que aprender deste episódio e começar de novo, bem abaixo. Tchau, Rússia. Não somos os melhores do mundo.”

O “La Nacion” destacou “O pior Mundial de um Messi que talvez já não volte a ter uma oportunidade”. Em relação ao time, houveram análises como: “A seleção argentina já não é tão boa como gostaríamos que fosse”. Ou também: “Sem pilotos nem planos: as razões de outra eliminação em Mundial para a seleção.”