Final da Libertadores: patrocinadores mantêm decisão no Chile

Muitas marcas já ativaram projetos que têm ligação direta com o país e a cidade-sede da decisão. Alterar locais resultaria em alto prejuízo

Luis Vera e Chris Brunskill/Getty Images

atualizado 28/10/2019 14:44

Torcedores de Flamengo e River Plate e demais amantes do futebol estão preocupados com a situação que ocorre no Chile. Uma onda de protestos ameaça a final da Libertadores 2019, que será sediada na capital do país, Santiago. A Conmebol, no entanto, não quer pensar em uma cidade e um estádio como alternativa, caso o cenário não mude. Alterar o que já está selado desde agosto de 2018 resultaria em alto prejuízo à organização.

As marcas Qatar Airways, Amstel, Betfair.net, Bridgestone, Gatorade, Mastercard, Rexona, Santander e Tag Heuer são as patrocinadoras da competição e, de acordo com o colunista do UOL Marcel Rizzo, muitas já ativaram projetos que têm ligação direta com o país e a cidade-sede da decisão. Além disso, a Conmebol planeja a participação dos dois clubes em eventos em Santiago.

Peso no bolso
Mudar a sede da final não é opção para a instituição organizadora, pois o prejuízo gira em torno da casa dos milhões de dólares. Internamente, então, eles esperam e torcem bastante para que a situação se tranquilize nos próximos dias — a contagem regressiva marca, nesta segunda-feira (28/10/2019), 26 dias até a data do jogo.

No fundo, porém, a entidade teme que possa repetir o que ocorreu em Quito, no Equador, com a Libertadores Feminina. O país também teve protestos da população em diversas cidades e acabou atrapalhando, por exemplo, a equipe do Corinthians. Antes da estreia as jogadoras tiveram o treino cancelado por questões de segurança.

Vídeos
Últimas notícias