Ex-Barcelona é condenado por causar pânico em hospital: “Atire em mim”

Arda Turan teria quebrado o nariz de cantor turco em festa. Depois foi pedir desculpa levando arma para o artista disparar em sua direção

Jean Catuffe/Getty ImagesJean Catuffe/Getty Images

atualizado 11/09/2019 20:35

O meia turco Arda Turan, de 32 anos, foi condenado a dois anos e oito meses de prisão por assédio, “lesões propositais com fratura de osso”, “disparos com arma de fogo de modo que pode produzir medo ou pânico” e porte ilegal de armas.

Atualmente, o jogador veste a camisa do Basaksehir, mas já passou pelo Atlético de Madrid e Barcelona. Em uma festa, ele deu em cima da esposa do cantor Berkay Sahin, também turco, de forma abusiva, considerada como assédio pelo artista, que discutiu com o atleta.

Durante a briga, Arda teria quebrado o nariz de Sahin, que foi ao hospital junto a esposa. Mais tarde, o jogador chegou no local, para supostamente pedir desculpas pelo acontecido, mas ofereceu uma pistola ao cantor e disse: “Atire em mim se quiser.”

Eles conversaram e Turan atirou a arma em direção ao chão, o que causou tumulto no hospital, mas felizmente, ninguém se feriu. O tribunal absolveu o jogador do crime de assédio, mas o condenou pelas demais acusações.

Apesar de tudo, ele não precisará ficar preso a não ser que cometa outro crime nos próximos cinco anos. No atual clube, ele já havia sido multado em 370 mil euros por atitudes não condizentes “com a ética e o conceito profissional no clube”.

Últimas notícias