*
 

Passava das 16h quando Cicinho estacionou no CT do Brasiliense, no Setor de Clubes Sul, nesta sexta-feira (2/3). O lateral-direito de 37 anos precisava se despedir dos amigos. Na quinta (1°), ele confirmou a rescisão de contrato com o atual campeão candango. O seu futuro será anunciado na manhã da próxima terça-feira (6), em coletiva no Morumbi, estádio do São Paulo.

Vestido de preto, Cicinho vivia o luto de deixar o clube pelo qual foi contratado em setembro do ano passado, para disputar a temporada 2018. O histórico de lesões nos joelhos e as constantes dores o impediram de continuar. Pelo Jacaré, o lateral jogou apenas duas vezes: uma pelo Candangão (contra o Samambaia) e outra pela Copa Verde (contra o Atlético-ES). Nas duas, ele foi substituído no segundo tempo.

 

A última partida como profissional foi em Itapemirim (ES), contra o Atlético capixaba, em 31 de janeiro. A partir dessa data, ele passou a não ser mais relacionado pelo então técnico Rafael Toledo, embora não tivesse saído de campo lesionado. Toledo deixou o Brasiliense e abriu espaço para Ailton Ferraz. Cicinho continuou fora.

Especula-se que Cicinho anunciará a aposentadoria na coletiva de terça-feira e assumirá algum cargo no tricolor paulista, time pelo qual foi campeão mundial e da Libertadores. “Eu faço tratamento, sempre tentando melhorar, mas ainda sinto dores. O campeonato está na reta final, e ainda não estou em condições de jogar. Fui sincero com o Brasiliense”, conta.

Em suas redes sociais, o São Paulo publicou um vídeo misterioso. O mascote do clube aparece com um celular, “tentando ligar” para Cicinho. Mais de 2 mil comentários conjecturavam a mensagem. Muitos perguntavam se ele voltaria a vestir a camisa tricolor.

Veja o vídeo:

 

De volta a São Paulo
Os jogadores formaram um círculo em um dos campos do CT. Cicinho passou cumprimentando um a um e abraçou com mais entusiasmo Radamés e Reinaldo, atletas com passagens por grandes clubes do Brasil. Depois, pediu privacidade para conversar a sós com os agora ex-companheiros.

Quem tomou a lateral foi Patrick. “Aprendi muito com ele. Pela humildade, pela história de vida. Quando joguei as duas partidas, ele foi um dos caras que mais me deu força. Sou um torcedor particular dele”, elogia Cicinho.

Ainda nesta sexta-feira (2), ele postou uma foto em que aparece reunido com o elenco e cuja legenda diz: “Obrigado a todos por este período com vocês no Brasiliense Futebol Clube”.

O camisa 12 viaja para São Paulo na segunda-feira (5), onde deve voltar a morar e trabalhar. Antes de deixar o CT, ele se reuniu com a diretoria do Jacaré para acertar últimos detalhes e assinar algumas camisas.

Até mesmo funcionários do clube pediram para tirar fotos com o ex-jogador da seleção brasileira de futebol e registrar o último momento de Cicinho por ali.