*
 

Duas seleções que chegaram como “surpresas” às semifinais da Copa do Mundo da Rússia disputarão neste sábado (14/7), às 11h, em São Petersburgo, o terceiro lugar do torneio. Bélgica e Inglaterra foram derrotadas por França e Croácia, respectivamente, e se enfrentarão pela medalha de bronze no torneio mais tradicional do futebol mundial. No entanto, quem vencer entre os dois ainda ficará muito distante daquela que é a maior vencedora deste confronto na história: a Alemanha.

A equipe germânica venceu por quatro vezes o “prêmio de consolação” da Copa. A última delas foi em 2010, na Copa do Mundo da África do Sul, quando venceu o Uruguai após ter sido superada nas semifinais pela Espanha, que seria a campeã ao vencer a Holanda por 1 x 0 na decisão, graças a um gol de Iniesta marcado na prorrogação.

Se em 2014 os alemães foram tetracampeões do mundo ao vencerem a Argentina (e ao impor a maior derrota da história do Brasil em Copas com o 7 x 1 na semifinal), oito anos antes a seleção até comemorou ter chegado ao terceiro lugar em um Mundial. Naquela ocasião, o país sediou a competição e, com um time renovado por nomes como Thomas Muller, Philipp Lahm e Bastian Schweinsteiger, venceram Portugal, comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari, por 3 x 1.

Nenhum deles, no entanto, foi mais difícil que o primeiro bronze, conquistado na Copa de 1934. A equipe germânica não estava entre as favoritas e venceu a Áustria, que antes do início do torneio era tida como a que praticava o melhor futebol do momento, por 1 x 0. Ambas foram derrotadas por Tchecoslováquia, que foi vice, e Itália, a primeira campeã europeia da história da Copa.

O segundo bronze alemão não foi menos emblemático: na Copa de 1970, a equipe acabou sendo eliminada na semifinal pela Itália no fatídico jogo da superação de Franz Beckenbauer. O Kaiser atuou em boa parte daquele confronto com o ombro deslocado, e o braço amarrado junto ao corpo com uma tipoia para amenizar a dor. Sem o lendário defensor, a Alemanha disputou o terceiro lugar com o Uruguai e venceu por 1 x 0.

Campeã em 1966, quando sediou a competição, a seleção inglesa luta para voltar a conquistar uma medalha em Copas do Mundo. O mais próximo que o time britânico já esteve de um pódio de Mundial desde então foi no ano de 1990, quando chegou à semifinal do torneio e foi eliminada pela Alemanha, que viria a ser a campeã vencendo a Argentina. E no terceiro lugar, os ingleses perderam para a Itália, anfitriã daquela Copa, por 2 x 1.

História
A Bélgica, rival da Inglaterra neste sábado, também tem um quarto lugar na sua história. Foi na Copa do Mundo de 1986, no México, quando a geração de Preud’Homme, Scifo e cia perdeu para a futura campeã Argentina na semifinal, e também foi derrotada pela França de Platini na decisão do terceiro lugar. Franceses têm, ainda, outra medalha de bronze conquistada no Mundial de 1958, vencido pelo Brasil, quando derrotaram a Alemanha por 6 x 3. E um quarto lugar, obtido em 1982 ao perder para a Polônia.

A Croácia, por sua vez, já venceu o bronze uma vez em 1998, com a sua primeira seleção classificada para um Mundial com a geração de Davor Suker, hoje presidente da Federação Croata de Futebol. Na ocasião, o time do Leste Europeu perdeu apenas para a França, que seria campeã em cima do Brasil, e derrotou a Holanda na disputa de terceiro lugar.

Além disso, pode-se dizer que o país já esteve “indiretamente” próximo de ter outra medalha. Isso porque a Iugoslávia, de onde se desvinculou e pediu independência em 1991, ficou em quarto lugar na primeira Copa da história, a do Uruguai, em 1930. Os Estados Unidos, que perderam para a vice-campeã Argentina na mesma fase, ficaram com o bronze nesta edição, que não teve disputa do terceiro lugar – a Fifa levou em consideração a pontuação final das equipes no torneio para definir a classificação das equipes. (Com informações da Agência Estado)