Raikkonen defende pilotos que não se ajoelharam em protesto antirracista

Piloto da Alfa Romeo foi um dos seis que preferiram não repetir o gesto em apoio ao movimento Black Lives Matter

atualizado 09/07/2020 14:16

Kimi Raikkonen, Charles Leclerc e Max Vestappen foram três de seis pilotos que preferiram não se ajoelhar em apoio ao movimento Black Lives Matter antes do GP da Áustria, no último domingo. O finlandês falou para a Sky Sports News sobre as críticas recebidas em relação à recusa.

“Todo mundo tem direito de fazer o que quiser”, disse. “Todos os pilotos definitivamente são contra o racismo e eu fico feliz de ajudar as pessoas sobre esses assuntos. Porém, eu acredito que cada indivíduo lida com isso da forma que se sente mais confortável. A Fórmula 1 e as equipes têm feito o melhor que eles podem”.

O piloto acredita que o problema pode ter sido cultural. Segundo ele, a nacionalidade de alguns pilotos pode ter algum problema com que o gesto de se ajoelhar representa.

Vídeos
Últimas notícias