F1: sem adversários em 2022, Verstappen pode ser campeão neste domingo

Piloto holandês vai em busca do bicampeonato no GP de Singapura, 17ª etapa da temporada

atualizado 30/09/2022 14:07

ANP via Getty Images

Após uma temporada disputadíssima, decidida, literalmente, na última volta da última corrida (e de forma polêmica), o campeonato 2022 da Fórmula 1 tem um claro dono: Max Verstappen.

Em 16 corridas até aqui, o atual campeão da categoria venceu nove e viu seus candidatos a adversário, Ferrari e Mercedes principalmente, ficarem pelo caminho graças aos próprios erros e dificuldades com as novas regras implementadas. Dessa forma, chega ao GP da Singapura, que acontece neste domingo (2/10), a partir das 9h (a Band anuncia a transmissão a partir das 8h), com chances de já ser o campeão faltando cinco corridas para o fim do calendário.

Abaixo, veja como Verstappen pode ser o campeão e descubra mais detalhes sobre a corrida:

O Campeonato

Max Verstappen chega para o GP de Singapura com uma liderança de 116 pontos para Charles Leclerc no Mundial de Pilotos. Além, obviamente, do talento inegável do holandês e da competência e consistência de toda a equipe Red Bull, a grande vantagem construída por Verstappen pode também ser parcelada na conta da inaptidão de seus adversários. A Mercedes, por exemplo, nunca se adaptou às novas regras implementadas na temporada 2022 e, após oito Mundiais de Construtores consecutivos, conseguiu apenas se solidificar como terceira força do grid.

Já a Ferrari deu toda a pinta de favorita, credenciadas pelos testes de pré-temporada e pelas primeiras corridas do ano. No entanto, erros nas pistas e internos da equipe renderam momentos de pura angústia para os tifosi ferraristas e de perplexidade e até humor, tamanha as trapalhadas, para o resto da Fórmula 1. E durante todo esse tempo, Verstappen e Red Bull trabalharam, consertaram seus problemas de confiabilidade e não olharam mais para trás.

Dessa forma, Super Max pode garantir o seu bicampeonato neste domingo se:

  • Vencer e fazer a melhor volta da prova
  •  Charles Leclerc terminar, no máximo, em oitavo lugar
  • Sergio Perez não alcançar o pódio

Confira as tabelas dos Mundiais de Pilotos e Construtores:

Treino Classificatório
Xxxxxxxx
Detalhes da corrida:

Distância: 5.063m
Recorde em corrida: 1min41s905 (Kevin Magnussen, Haas, 2008)
Número de voltas: 61
DRS – 3 zonas
Zona 1: após a curva 7
Zona 2: após a curva 14
Zona 3: reta dos boxes Pneus disponíveis: C3 (duros), C4 (médios) e C5 (macios)

Resultado em 2019
Pole position: Charles Leclerc (MON/Ferrari) – 1min36s217

Pódio:
1º Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) 1h58min33
2º Charles Leclerc (MON/Ferrari) +2s641
3º Max Verstappen (HOL/Red Bull) +4s921

Curiosidades do circuito

Apesar de, no horário local, a prova ser disputada à noite, para os pilotos, a sensação é de que a corrida está acontecendo à luz do dia. Isso por que são usados 108,423 metros de cabos de energia para iluminar os mais de 5k de pista. Tais cabos suportam mais de três milhões de watts para os 1500 pontos de iluminação do traçado.

GP de Singapura em 2019

A última corrida disputada em Singapura, em 2019, marcou também a última vez que Sebastian Vettel subiu no lugar mais alto do pódio. O tetracampeão ainda estava na Ferrari, tentando lutar contra a “ameaça” que surgia no jovem Charles Leclerc.

Apesar de o piloto monegasco ter feito a pole position e largado na frente, Vettel foi mais eficiente após o pit stop e assumiu a liderança, deixando Leclerc e Hamilton para trás. A vitória, à época, encerrou um jejum de 22 corridas sem vitórias do alemão e marcou a primeira dobradinha da Ferrari desde o GP da Hungria de 2017.

Mais lidas
Vídeos
Últimas notícias