*
 

Uma nova reviravolta vai colocar mais uma vez a relação de Darcy (Thiago Lacerda) e Elisabeta (Nathalia Dill) em sério risco. Tudo por conta de uma manobra de Lady Margareth (Natália do Vale), que conseguirá mandar a jovem jornalista para a cadeia. Para completar, ela chantageará o sobrinho para que ele se case com Susana (Alessandra Negrini).

Tudo começa quando os funcionários da fábrica entram em greve. Ernesto (Rodrigo Simas) e Camilo (Maurício Destri) contam o ocorrido a Elisabeta e ela resolve se dirigir para o local para realizar a cobertura jornalística.

O clima fica tenso, com operários fazendo uma manifestação, e o supervisor provoca Ernesto. Elisabeta tenta acalmar o amigo, mas uma explosão acontece dentro da fábrica e todos ficam bastante agitados. O funcionário da empresa acaba acusando o desafeto pelo ocorrido e ele passa a ser perseguido.

Preocupado, Darcy sugere que Ernesto fuja. A essa altura, Lady Margareth, mancomunada com Susana, orienta o delegado Kléber (Márcio Vito) sobre o que ele deve fazer. Como o rapaz resolveu se refugiar em algum canto com Ema (Agatha Moreira) até que a poeira baixe, acaba sobrando para Elisabeta, que é presa pelo policial, acusada de cumplicidade na explosão.

Certo de que há o envolvimento de sua tia nessa história, Darcy a procura. A mulher, então, não perde tempo em mostrar que está no controle da situação: se o sobrinho quiser que Elisabeta saia da prisão, terá que se casar com Susana. Caso contrário, a jornalista vai mofar atrás das grades, já que a acusação contra ela é bastante contundente.

Atônito diante da situação, Darcy percebe que a mulher está realmente falando sério quando o jornal de Elisabeta é impedido de circular. Sensibilizado, ele procura consolar a amada e não consegue pensar em mais nada que não seja tirá-la de trás das grades. Assim, ele cede à chantagem de Lady Margareth e aceita se casar com Susana.

As cenas envolvendo a prisão de Elisabeta e a chantagem e Lady Margareth contra Darcy estão previstas para ir ao ar a partir de terça-feira, dia 17 de julho.