Marcius Melhem: jornalismo da Globo esperou autorização para noticiar caso

A primeira leitura de nota da emissora ocorreu por volta das 21h40 de 08 de dezembro — quadro dias após pulicação da matéria da ìauí

A crise instalada no departamento de humor da Globo acabou respingando no núcleo de jornalismo. Com a repercussão da matéria da Piauí, detalhando os assédios cometidos pelo ex-diretor, Marcius Melhem, contra Dani Calabresa e outras funcionárias, internautas e telespectadores questionaram a demora da emissora em noticiar o caso.

Segundo o UOL, intenção da equipe de jornalistas era repercutir o fato no dia da publicação da revista, em 04 de dezembro. Contudo, foi preciso aguardar uma autorização da diretoria do Grupo Globo, analisar e aprovar a forma com que seria feita a menção. Ficou decidido que a emissora faria uma nota coberta, com citação do compromisso da casa com as regras de compliance e indicação de links para o telespectador saber mais do caso.

A primeira leitura da nota da emissora ocorreu por volta das 21h40 de 8 de dezembro, ao final do Jornal Nacional. O mesmo conteúdo foi divulgado, na íntegra, no G1, e lido nos demais telejornais da Globo e Globo News posteriormente.

Questionada pela reportagem do UOL, a Globo afirmou que “com as explicações que publicou em seus telejornais, ao mesmo tempo em que informou onde as denúncias poderiam ser conhecidas em todos os seus detalhes, reiterou e justificou também a impossibilidade de comentá-las publicamente sem ferir suas políticas de compliance. Foi a forma transparente que encontramos para tratar do assunto junto a nossos telespectadores, diante dessas limitações”.

1/6
Famosos repercurtiram assunto no Twitter
Repudiaram atitudes de Melhem
O caso ganhou as páginas da revista Piauí
Outras mulheres já denunciaram o ex-diretor
E elogiaram a coragem de Dani Calabresa
E elogiaram a coragem de Dani Calabresa