Empresário de Alanis Morissette roubou US$ 5 milhões da cantora

Ex-empresário de Alanis, Jonathan Todd Schwartz ainda admite ter roubado outros US$ 2,3 milhões de outros clientes

Alanis Morissette, estrela da música pop nos anos 1990, teve US$ 5 milhões roubados por seu ex-empresário. Jonathan Todd Schwartz admitiu o crime após sofrer acusações em nível federal, segundo informações do “The Hollywood Reporter”. Ele ainda surrupiou mais US$ 2,3 milhões de outros clientes que não tiveram seus nomes revelados.

De acordo com procuradores de Los Angeles (Califórnia), Schwartz admitiu ter roubado perto de US$ 5 milhões de Alanis entre 2010 e 2014. Depois de ser confrontado pelo crime, o empresário chegou a dizer que tinha investido o dinheiro num negócio ilegal envolvendo o plantio de maconha.

Quando prestava serviços para a GSO Business Management, Schwartz chegou a atender clientes como Beyoncé e Maria Carey. Em 2016, as duas cantoras participaram de um evento beneficente realizado pelo empresário em nome de uma instituição de caridade fundada por ele.

A fraude com o dinheiro de Alanis foi descoberta quando a cantora levou para seus negócios para outra firma. Seu atual empresário notou o desfalque de milhões e entrou em contato com a GSO.

Segundo o advogado da GSO, Chris Reeder, a empresa já ressarciu os clientes que foram lesados por Schwartz. A companhia moveu uma ação contra o empresário alegando que ele usou o dinheiro para financiar luxos como uma viagem de US$ 50 mil para Bora Bora e uma estadia de US$ 75 mil num cassino nas Bahamas.

Por ter admitido culpa na fraude, Schwartz deve pegar de quatro a seis anos de prisão. Mas, a depender da condenação do juiz, a pena pode chegar a até 23 anos.