Cantores de K-pop são condenados à prisão após escândalo em boate

A Justiça da Coreia do Sul decidiu que Jong Joon-Young teria de cumprir sete anos de prisão e Choi Jong Hoon, cinco

Chung Sung-Jun/Getty Images

atualizado 14/11/2019 17:05

Os cantores de K-pop Jong Joon-Young, do Drug Restaurant, e Choi Jong-Hoon, da FT Island, foram condenados à prisão na quarta-feira (13/11/2019) após acusações de estupro. A investigação começou com o escândalo da boate Burning Sun que envolveu inúmeros nomes influentes da indústria.

A Justiça da Coreia do Sul decidiu que Joon-Young teria de cumprir sete anos de prisão e Jong Hoon, cinco. Segundo as acusações, eles teriam filmado e compartilhado imagens de um estupro coletivo em um grupo de Kakao Talk – um aplicativo reminiscente do WhatsApp. A agressão envolve três outros homens e teria acontecido em março de 2016 de acordo com o Soompi.

0

A Justiça também pediu 10 anos de prisão para o ex-funcionário da boate Burning Sun, Sr. Kim, e Sr. Kwon por “quasi-estupro” (referindo-se ao estupro de uma vítima inconsciente ou incapaz de resistir), e cinco anos de prisão para o ex-funcionário de uma agência de entretenimento, Sr. Heo.

Para todos os envolvidos, a Justiça também determinou que eles teriam de passar por um tratamento e reabilitação para agressores sexuais, divulgação de informações pessoais e um banimento de 10 anos de toda e qualquer instituição que envolve crianças e adolescentes.

O veredito final será anunciado no dia 29 de novembro, às 11h, na Coreia do Sul.

Últimas notícias