*
 

Elizabeth Hazin, professora aposentada pela Universidade de Brasília (UnB), lança a coletânea de poesias “Quadrívio” (Siglaviva, 2017) nesta quarta (8/11), às 19h, no Sebinho (406 Norte). A pernambucana é especialista em autores brasileiros como Guimarães Rosa e Osman Lins.

O encontro será carregado de emoções. A autora está lançando a coletânea como um presente de despedida para a capital: com a aposentadoria na UnB, ela decidiu voltar a viver em Recife (PE), sua terra natal.

A nova obra reúne parte de sua experiência como professora do Departamento de Teoria Literária da UnB e condensa quatro livros de poesias: “Teia”, “Areal”, “Prometeu” e “Espelho Meu”.

Os trabalhos passados agora se entrelaçam, discutindo a alma humana e a criação do homem. A única obra já publicada que aparece na nova coletânea é “Espelho Meu”, que apresenta um diálogo entre o eu poético e um espelho e problematiza a existência e a relação entre a vida e a morte.

Divulgação

O convite para o lançamento do livro nesta quarta-feira.

 

A autora
Elizabeth Hazin nasceu em 1951 e é autora dos livros: “Poesias” (1974), “Verso e Reverso” (1980), “Casa de Vidro” (1982), “Espelho Meu” (1985), “Martu” (1987), “O Arqueiro e a Lua” (1994), “Lêgo & Davinovich” (2006), com Davino Sena, e dos infantis “Arco-íris” (1983) e “Mágica de Carrossel” (2014).

Confira abaixo dois poemas de Elizabeth Hazin:

BANDEIRAS DE ORAÇÃO

Toda palavra escrita carece de vento

ou jamais aos deuses será levada.

E saberão ler os deuses?

Saberão da paixão

de atravessar — de viés — a vida que nos concedem

sem perdão?

Tremulam ao vento as bandeiras

tecidas em tons diversos: essas palavras.

E chegarão?

 

PALAVRA

Uma

duas

três taças

e o poema se derrama

— vermelho e ácido —

queimando minha garganta

toda palavra é um pássaro escarlate

que voa sempre

(ainda quando me calo)

no tempo escasso da tarde

 

 

COMENTE

UnBpoesiaelizabeth hazin
comunicar erro à redação