*
 

Quatro curtas da cidade anunciam nova sessão da mostra “Brasília em Plano Aberto”, dedicada à produção cinematográfica da capital. “Rap – O Canto da Ceilândia” (2005), primeiro filme do ceilandense Adirley Queirós, abre a exibição desta quarta (1º/11), às 19h30, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). A entrada é gratuita.

Hoje consagrado por “Branco Sai, Preto Fica” (2014), vencedor do Festival de Brasília, e “Era uma Vez Brasília” (2017), longa que levou troféu de direção no mesmo evento, Queirós começou sua trajetória no cinema contando histórias de quatro músicos de Ceilândia em “Rap”. O diretor estará presente para participar de debate com o público.

A sessão também reúne “Das Raízes às Pontas” (2015), filme de Flora Egécia sobre consciência negra, “Marcas de uma Estrada Griô” (2013), obra de Pato Sardá que revela um perfil do bailarino João Negreiros, “Entre Cores e Navalhas” (2007), curta de Catarina Accioly e Iberê Carvalho que propõe uma crônica poética sobre a importância de valorizar a diversidade.

Sob curadoria de Wol Nunnes e Maurício Witczak, a mostra “Brasília em Plano Aberto” esboça um painel da produção cinematográfica da cidade realizada nos últimos quarenta anos. As sessões acontecem sempre na primeira quarta-feira de cada mês, às 19h30. O projeto estreou em julho e segue até junho de 2018.

Mostra “Brasília em Plano Aberto”
Quarta (1º/11), às 19h30, no Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB (Setor de Clubes Esportivos Sul, trecho 2, 3108-7600). Entrada gratuita mediante retirada de ingressos na bilheteria uma hora antes do início da sessão. Não recomendado para menores de 16 anos

 

 

COMENTE

CCBBadirley queirósconsciência negramostra de curtasbrasília em plano aberto
comunicar erro à redação

Leia mais: cinema