O longa-metragem pernambucano “A História da Eternidade”, de Camilo Cavalcante, ganhou o prêmio principal do 7º FESTin – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa, em Lisboa. “De que Lado me Olhas”, de Carolina de Azevedo e Elena Sassi, saiu como melhor curta.

Os vencedores da competição, entre filmes de países lusófonos, foram anunciados nesta quarta (11/5), no Cinema São Jorge, na capital portuguesa. Ali, por oito noites, foram exibidos 74 títulos, entre longas e curtas —  50 deles brasileiros, cinco deles produzidos no Distrito Federal.

“A História da Eternidade” levou também os prêmios de ator (Cláudio Jaborandy) e direção. Já “A Família Dionti”, de Alan Minas — que passou pelo último Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — foi escolhido melhor longa-metragem pelo público.

Outro participante do Festival de Brasília do ano passado, “Ausência”, de Chico Teixeira, ganhou o prêmio de melhor longa de ficção escolhido pela crítica.

Abaixo, a lista de vencedores nas demais categorias:

Melhores curtas eleitos pelo público (empate): “Histórias com Música”, de Fernando Morais (Cibelo), e “Bá”, de Leandro Tadashi
Melhor documentário eleito pelo público: “Olhar de Nise”, de Jorge Oliveira e Pedro Zoca
Menção honrosa pelo júri de documentário: “Olhar de Nise”, de Jorge Oliveira e Pedro Zoca
Melhor documentário: “Central”, de Tatiana Sager e Renato Dorneles
Menção honrosa pelo júri de longa: “Amores Urbanos”, de Vera Egito
Melhor Atriz: Adriana Esteves (“Mundo Cão”)