Metrópoles escolhe os 10 melhores filmes do primeiro semestre de 2019

Lista reúne blockbusters e novidades do circuito alternativo que passaram nas telas brasileiras nos últimos seis meses

O ano de 2019 está só na metade e já passaram grandes filmes pelas telas de cinema e plataformas de streaming no primeiro semestre. Na lista abaixo, o Metrópoles lista seus 10 longas favoritos que estrearam nos últimos seis meses. Tem atração para todos os gostos. Do blockbuster John Wick 3 a longas independentes como o uruguaio Belmonte, lançado na Netflix, o francês Amanda, que aborda o terrorismo na Europa de um jeito particular, e o brasileiro Temporada, vencedor do Festival de Brasília 2018.

Também entram no levantamento obras recentes de grandes diretores. Antes de The Irishman, seu novo filme de máfia, na Netflix, Martin Scorsese colocou na plataforma Rolling Thunder Revue, documentário inventivo sobre uma das mais ousadas turnês de Bob Dylan, nos anos 1970. Outro título obrigatório para os fãs de música é Homecoming, no qual Beyoncé detalha sua incrível performance no festival Coachella.

Jordan Peele, diretor de Corra! (2017), movimentou os fãs de terror mais uma vez com o ambicioso Nós (foto no topo). M. Night Shyamalan concluiu sua trilogia de heróis sem capa com Vidro e o veterano Clint Eastwood voltou a atuar após sete anos em A Mula, no qual interpreta um traficante de drogas.

Como toda lista sempre nasce incompleta, é preciso dizer que este crítico que vos escreve deixou de ver filmes importantes, como Dor e Glória, de Pedro Almodóvar, e Maya, da jovem cineasta francesa Mia Hansen-Løve.

Os 10 melhores filmes do primeiro semestre de 2019 segundo o Metrópoles, em ordem alfabética:

1/10
Amanda, de Mikhaël Hers. A experiência europeia diante do terrorismo ganha contornos pessoais neste sensível drama familiar. A personagem-título (Isaure Multrier) perde a mãe num atentado e passa a ser criada pelo tio, David (Vincent Lacoste). Crônica urbana potente sobre medo e perseverança que usa muito bem os espaços urbanos como contraponto ao horror da violência. Veja trailer
Belmonte, de Federico Veiroj. Com apenas 74 minutos de duração, o longa uruguaio retrata a vida de um artista dividido entre o sucesso criativo e a paternidade em crise. A febril paleta de cores chama a atenção. Veja trailer
Em Trânsito, de Christian Petzold. O melhor diretor alemão contemporâneo traz a ameaça nazista para os dias atuais num drama político atemporal sobre um homem que assume a identidade de um escritor morto. Paixão e fabulação num filme que desafia o público a todo instante. Veja trailer
Homecoming: A Film By Beyoncé, de Beyoncé e Ed Burke. A maior artista pop contemporânea traz um olhar pessoal, extravagante e conceitual sobre sua passagem bombástica pelo festival Coachella. Um filme-show que transcende o gênero e funciona como registro humano de uma estrela e o contexto cultural que a rodeia. Veja trailer
John Wick 3: Parabellum, de Chad Stahelski. Protagonizada por Keanu Reeves, a melhor franquia de Hollywood nos últimos tempos retorna ampliando o universo para além de Nova York e trazendo Halle Berry como bem-vinda novidade. Cenas de porrada e tiroteio filmadas de forma ao mesmo tempo cristalina e barroca. Veja trailer
A Mula, de Clint Eastwood. Sem atuar desde Curvas da Vida (2012) e em filme próprio desde Gran Torino (2008), Eastwood explora sua própria velhice interpretando um veterano de guerra que transporta drogas para um cartel mexicano. Um drama que articula secura e poesia ao observar o americano comum em um país em constante contradição. Veja trailer
Nós, de Jordan Peele. Lupita Nyong'o entrega a melhor atuação do ano neste horror distópico que ousa confrontar privilegiados e renegados da América. Talvez ainda melhor do que Corra! (2017), o longa que revelou o diretor Jordan Peele. Veja trailer
Rolling Thunder Revue: A Bob Dylan Story by Martin Scorsese, de Martin Scorsese. Catorze anos após mostrar os anos de ascensão de Dylan em No Direction Home (2005), Scorsese adere aos prazeres lúdicos do falso documentário para fabular sobre a turnê do astro folk ao lado de amigos nos anos 1970. Já que o próprio Dylan diz mal se lembrar da caravana – autoironia ou sinceridade? –, resta ao cinema especular, recriar e inventar. Veja trailer
Temporada, de André Novais Oliveira. Grace Passô vive Juliana, uma jovem que sai do interior de Minas Gerais para morar em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Um drama social carregado de sutilezas e detalhes acerca da vida de uma mulher em busca de independência. Uma joia do cinema nacional contemporâneo. Veja trailer
Vidro, de M. Night Shyamalan. Corpo Fechado (2000) e Fragmentado (2016) ganham um desfecho catártico, na forma de um épico minimalista, quando Crumb (James McAvoy), Dunn (Bruce Willis) e Price (Samuel L. Jackson) lutam entre si – e contra o ceticismo da psiquiatra Ellie Staple (Sarah Paulson), que não acredita em superpoderes. Veja trailer