*
 

Ao contrário das edições anteriores, as opções de comida estão bastante minguadas na 49º edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Quem chegar com fome ao evento, terá que se contentar em comer hambúrguer, pizza ou crepe. Mas, nem tudo esta perdido. A comercial da 106/105 Sul, ao lado do Cine Brasília, oferece boas opções gastronômicas.

A melhor opção do festival é o Naked Barbecue, especificamente o Jason, que leva 200g de carne, queijo cheddar, bacon, cebola empanada e guacamole. O sabor é ok, mas o preço é salgado: R$ 20. Tanto em valor como em qualidade uma excursão na comercial vale mais.

As opções são variadas: tem o açaí do Subs, um dos mais tradicionais da cidade — e que dá uma energia extra para aguentar as sessões do festival. A Casa dos Biscoitos Mineiros oferece variados lanches, com destaque para o pão de queijo e a torta de frango (vendida em fatias).

O pessoal que não abre mão do fast-food pode comer em duas tradicionais lanchonetes brasilienses: Giraffas e Sky’s. Também é possível degustar delícias árabes no Empório Marzuk.

Bebida
Quando o assunto é drinks, a conta no festival é mais justa. As cervejas em lata custam R$ 5 (Antártica) e R$ 6 (Heineken). Vinhos e espumantes são vendidos por R$ 13 a taça. Há ainda espaço para cervejas artesanais, que saem a R$ 13 o copo.

Agito sem interrupção
O festival, mesmo durante a exibição dos filmes, não para. Na praça de alimentação, as pessoas comem e bebem, além de discutir sobre cinema, política e cultura.

Daniel Ferreira/Metrópoles

Jurada do evento, a atriz brasiliense Camila Márdila (foto) comentou sobre o clima do Festival de Brasília: “Eu vinha aqui quando ainda era estudante da Universidade de Brasília (UnB), o público é muito engajado, tem um clima muito bom”.

A professora de inglês Luiza Chaer, no entanto, achou esta edição mais caída que as anteriores. “Está muito vazio, não sei porque, mas não tem a mesma energia”, opinou.

 

 

COMENTE

festival de brasília 2016
comunicar erro à redação

Leia mais: Cinema