Cine Beijoca, da UnB, promove mostra Voltas do Cinema Negro

Com debates diários e exibição de grandes longas nacionais, como Deusa Negra, de Ola Balogun, festival revive tradição da universidade

atualizado 19/11/2018 15:03

iStock

O Cine Beijoca, tradicional sessão de cinema da Universidade de Brasília (UnB), será retomado em grande estilo, com exibições voltadas para o Dia da Consciência Negra. Na mostra Voltas do Cinema Negro, com curadoria da Kênia Freitas e debates com Aida Feitosa e Tadeu De Brito, grandes produções nacionais entram em voga.

O festival começa com o longa Deusa Negra (1978), do diretor e roteirista nigeriano Ola Balogun. Esta foi a primeira parceria cinematográfica entre Brasil e Nigéria, e conta a história de um homem negro que retorna ao Brasil em busca de compreender sua história familiar na figura de seu bisavô, um africano traficado e escravizado.

Ainda serão exibidos outros filmes raros, como o curta Experimentando o Vermelho em Dilúvio II (2016) e o longa Ori (1989), no segundo dia. O encerramento fica por conta de quatro filmes: Peregrinação (2014), Tião (2016), Arco do Medo (2017) e Nome de Batismo Alice (2017).

Voltas do Cinema Negro
De 20 a 22 de novembro, às 19h, no Espaço Cultural Renato Russo (508 Sul). Entrada franca. Não recomendado para menores de 18 anos

Últimas notícias