Baratona agita a folia de Carnaval na área central de Brasília

Segundo a organização do bloco, cerca de 20 mil pessoas se concentram na área próxima à Torre de TV

Andre Borges/Especial para o Metropoles

atualizado 24/02/2020 21:05

No estacionamento da Torre de TV, dois trios elétricos animam os brasilienses na Baratona, tradicional bloco de Carnaval do DF. A festa começou no início de noite desta segunda-feira (24/02/2020) com previsão de animar o público até as 22h30.

Segundo os organizadores, 20 mil foliões são esperados nesta edição. Em decorrência de problemas técnicos provocados pela chuva, o bloco não fará o desfile pelo percurso de costume. Os coordenadores optaram por seguir as recomendação da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF).

0

Ao Metrópoles, Bruno Lima, um dos nomes a frente da Baratona, afirma que já começou os planejamentos para o Caranaval de 2021. “Temos buscado repaginar o bloco em todas as edições. Esse ainda não é o local ideal para o Baratona. Temos interesse em voltar a desfilar no Eixão, onde começamos”, explicou.

Teve quem saiu de Ceilândia só para curtir a Baratona 2020, na área central de Brasília. Bruno Santos e a namorada Ingrid Barbosa escolheram o bloco para aproveitar o primeiro dia de Carnaval do casal. “Infelizmente, Brasília tem poucas opções. Passamos o dia procurando blocos e esse nos pareceu bastante animado, tradicional. Quero ouvir muito Chiclete com Banana”, disse Bruno.

A jovem Letícia Renhe também reclamou da falta de opções na área central. “Escolhemos aqui por ser mais tranquilo, não temos muita opção, mas tendo axé a gente vem”, ri. O mineiro Luiz Henrique, 32 anos, aprovou a folia brasiliense. “Minas é um pouco mais animado, mas aqui não deixa a desejar. Muito bom”, brincou.

Setor da Diversidade

No Setor Carnavalesco Sul (SCS), a folia foi marcada pela diversidade. Na tarde desta segunda-feira (24/02/2020), a festa começou debaixo de chuva com a turma do Aparelhinho.

0

Em seu nono Carnaval, o Aparelhinho não pôde manter sua tradição de desfilar pelo espaço neste ano. “O Aparelhinho é o bloco que anda, é empurrado pelos DJs. Mas com a chuva, não podemos andar hoje”, lamentou o DJ Ops, um dos três integrantes do grupo ao lado dos DJs Pezão e Barata.

Com as dificuldades provocadas pela chuva e por problemas na estrutura do trio e no som, o bloco deve programar nova data para se apresentar em um pós-Carnaval. “Queremos anunciar uma nova saída. Ainda não tem nada certo, mas pensamos em marcar para o próximo sábado (29/02/2020), com o Divinas Tetas”, comentou o DJ.

No embalo das sereias

O Palco 24 do SCS recebeu a segunda edição do bloco Sereias Tropicanas: marcado pela diversidade, o desfile LGBT teve cores, alegria e clima de confraternização.

0

“É um bloco da diversidade, que prega o respeito”, enfatizou Loren de Oliveira, uma das organizadoras.

Durante o evento, o público repetiu gritos de protesto contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). As reclamação são comuns em blocos LGBTQ+ que se apresentam no Carnaval brasiliense deste ano. “Ei, Bolsonaro, vai tomar no cu”, diziam.

Tradição

Na 404/405 Norte, a folia do Concentra Mas Não Sai completou 20 anos na quadra comercial.

0

Apresentaram-se o trio DNA Brasília, bloco Pimenteira e participação dos cantores Marcelo Sena e Bebeto Cerqueira. “Mais um ano de sucesso total”, avalia Tyayro Pimenta, organizador do bloco.

Praça dos Prazeres

Nesta segunda, a Praças dos Prazeres (201 Norte) celebrou a diversidade de ritmos no espaço.

0

A DJ Xanaína, uma das atrações da festa, acredita que a presença do público demonstra a força dos blocos e a variedade de pessoas no local.

“Vem gente de varias partes da cidade, não só da área central. São pessoas que sabem que este é um movimento contra a LGBTfobia, o racismo e a gordofobia e se identificam com a causa”.

Últimas notícias