*
 

Equipes do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) e da Novacap começaram a trabalhar no escoramento do viaduto que desabou sobre a Galeria dos Estados na última terça (6/2). Cerca de 72 vigas de aço que foram usadas na concretagem dos pilares do estádio Mané Garrincha durante a reconstrução, e estavam guardadas, estão sendo adaptadas para sustentar o que sobrou da estrutura.

O tamanho das vigas varia de 3,55cm a 3,75cm. Elas devem ser encaixadas embaixo das partes que ficaram inteiras. Segundo a Novacap, o processo será feito nas pontas do viaduto. Márcio Buzar, diretor do DER, disse que parte do material de escoramento já chegou ao local e o trabalho será feito primeiro na laje (parte próxima da onde desabou).

“Vamos estabilizar a estrutura e, depois, entraremos com o segundo escoramento ao redor para liberar a passagem, que é fundamental”, explicou nesta sexta-feira (9).

Segundo a Novacap e o DER, ainda não dá para dizer se o que restou do viaduto será reconstruído ou demolido. A decisão vai depender das analises das amostras que serão feitas na Universidade de Brasília (UnB). Os pilares de metal são temporários e o plano de escoramento definitivo só começa a ser elaborado depois dessa primeira etapa.

Sem as vigas temporárias, pesquisadores da UnB e do Conselho Regional de Arquitetura e Agronomia (Crea) não conseguem colher as amostras necessárias que vão fundamentar o projeto.

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) esteve no local nesta sexta para vistoriar as obras: “Vamos trabalhar muito duro durante o Carnaval para que, logo depois, possamos entregar o Eixão funcionando”. explicou.

Desvios para melhorar trânsito
Também durante o Carnaval haverá as obras dos desvios que vão garantir o fluxo de veículos no centro da capital. As alças vão permitir contornar a região e dar melhor fluidez. Desde que o viaduto desabou os motoristas enfrentam engarrafamentos gigantescos.

Equipes do DER e da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) estiveram nas imediações do acidente na tarde desta quinta para fazer o levantamento topográfico e limpar a via. A ideia é que quando os desvios forem ativados, os veículos terão acesso mais rápido ao Eixão Sul, que está parcialmente interditado. A expectativa do GDF é de que antes do próximo dia 19 as alterações no trânsito estejam concluídas

De acordo com Márcio Buzar, serão quatro desvios, todos asfaltados, que cortarão a área central, ampliando as faixas já existentes. Essas novas vias serão construídas onde hoje há gramados (veja imagem abaixo).

Reprodução/DER

 

Ao fim dos trabalhos, novas pistas vão desviar o tráfego do Eixão Sul para os Eixinhos. As alças que vão ligá-los irão do Buraco do Tatu até a altura do Setor de Autarquias Sul, no sentido norte-sul, e o contrário, na direção inversa (sul-norte).

Perto do Buraco do Tatu, o governo vai alargar as vias que hoje conectam os Eixos L e W ao Eixão com duas novas faixas em cada alça. No outro ponto, na altura do Setor de Autarquias Sul, será necessário construir novas ligações em cada lado para unir Eixinhos e Eixão.

A estrutura despencou por volta das 11h50 da última terça-feira (6). Imediatamente, fotos e vídeos inundaram as redes sociais.

Veja vídeo do momento do desabamento:

 

Confira as fotos do dia do desabamento:

 

 

COMENTE

Rodrigo RollembergEixão Suldesabamentoviaduto
comunicar erro à redação

Leia mais: Distrito