Vídeo flagra ladrões vendendo objetos de prédio que caiu no DF

O edifício onde uma moradora recuperou um secador de cabelos roubado fica a cerca de 500 m do local do desabamento, em Taguatinga

atualizado 12/01/2022 19:28

Ladrões vendem objetos de prédio que caiu no DFReprodução

Ladrões estariam invadindo o prédio que desabou em Taguatinga Sul para roubar pertences dos moradores desabrigados. Um vídeo por uma mulher flagra o momento em que um homem tenta recuperar um secador de cabelo da esposa, roubado no local.

De acordo com a mulher, os homens que estavam no local disseram ter furtado os objetos de dentro da estrutura que desmoronou na última quinta-feira (6/1).

Veja as imagens:

0

“Estava em casa e ouvi tudo. Vi toda a cena e comecei a filmar. Pegaram um secador de cabelo e uma chapinha e estavam querendo vender aqui no comércio do meu prédio”, comentou.

Até o momento, moradores estão impedidos de entrar no local e recuperar pertences. O edifício continua isolado.

Uma moradora do local, Solange Silva, 52, soube por vizinhos que seu apartamento, no primeiro andar, tinha sido furtado na noite dessa segunda-feira (10/1).

A mulher e o marido foram atrás do local em que, supostamente, ladrões estariam fazendo a negociação dos objetos, na Vila Dimas.

No local, Solange reconheceu o secador de cabelo que teria sido furtado de dentro do apartamento. “Reconhecemos na hora e meu marido pegou de volta (veja o momento no vídeo). O próprio pessoal que estava lá contou que os ladrões disseram que pegaram o secador de dentro do prédio que caiu. Além de tudo, passamos por mais essa situação”, lamenta Solange.

De acordo com a Defesa Civil, a corporação espera sinais de estabilidade na estrutura do prédio para liberar a entrada do Corpo de Bombeiros. Nessa segunda-feira (10/1), as equipes de topografia registraram que o edifício continuava se movimentando alguns centímetros.

Prédio irregular

Além de não ter registro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Distrito Federal (Crea-DF) para a construção do 5º andar, o prédio que caiu em Taguatinga não tinha alvará de construção ou carta de Habite-se, portanto, era irregular. A informação foi confirmada pelo Governo do Distrito Federal ao Metrópoles.

Ainda segundo o GDF, a obra não foi autorizada pela Central de Aprovação de Projetos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), e sequer houve solicitação de licenciamento para o projeto.

A equipe de monitoramento do prédio que caiu parcialmente em Taguatinga Sul na última quinta-feira (6/1) utilizou drones para vistoriar a estrutura da edificação nesta segunda-feira (10/1). Na terça-feira (11/1), a Defesa Civil decidirá se o prédio será liberado para que profissionais possam resgatar pequenos pertences.

A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros do Distrito Federal e pela Defesa Civil. A princípio, a estrutura seria interditada por 72h, mas o prazo foi estendido. Engenheiros da Novacap ainda analisarão as imagens coletadas pelo drone a fim de avaliar o impacto das águas das chuvas no prédio.

Avaliação

Também nesta terça-feira (11/1), a Defesa Civil liberará parte da área em frente ao prédio para o Detran-DF refazer o balizamento e o SLU realizar a limpeza.

Ainda não há prazo definido para que uma equipe do Corpo de Bombeiros entre no edifício a fim de resgatar pequenos pertences de moradores. Neste meio tempo, qualquer pessoa continua impedida de entrar no local.

Na manhã desta segunda-feira, a Defesa Civil divulgou que o prédio afundou 4 metros e inclinou 50 centímetros para frente. Toda a estrutura continua instável e pendendo para a esquerda.

Mais lidas
Últimas notícias