Variantes da Covid-19 podem levar DF a novo lockdown, diz Ibaneis

“Se elas realmente se transformarem em transmissão comunitária, vamos ter que chegar novamente ao ponto de fechar”, pontuou o governador

Caso as novas variantes mais agressivas e contagiosas do coronavírus passem a ter transmissão comunitária no Distrito Federal, o governador Ibaneis Rocha (MDB) cogita decretar lockdown em Brasília.

O emedebista fez a declaração nesta quinta-feira (25/2), no Palácio do Buriti, após reunião com prefeitos do Entorno, em busca de um alinhamento na batalha contra a pandemia de Covid-19.

“Essas novas variantes estão se disseminando pelo país. A gente já sabe que elas existem e são bem mais graves. A gente tem conversado com os técnicos da Secretaria de Saúde e, eles, por sua vez, com o pessoal do ministério [da Saúde]”, comentou Ibaneis.

“Se elas realmente vierem a se transformar em uma transmissão comunitária, aí nós vamos ter que chegar novamente a um ponto de fechamento, de lockdown. Porque a gente sabe que o agravamento vai ser muito grande e o número de vacinas que tem chegado ainda é muito pequeno”, complementou.

BRB

Durante o encontro, o chefe do Executivo local anunciou a criação de um convênio de pactuação com os municípios para ampliar o suporte a pacientes com Covid-19 residentes nos municípios situados ao redor da capital do país.

“Será submetido ao Conselho Bipartite. Dessa forma, teremos condições de ampliar o atendimento”, disse.

Se aprovada, a medida permitirá que seja realizada a transferência de leitos e recursos das cidades do Entorno para Brasília. Dessa forma, como explicou o Ibaneis, “o recurso acompanha o paciente”.

Além disso, o governador do DF afirmou que autorizará o BRB a abrir linhas de crédito para os pequenos negócios e, dessa vez, pretende incluir aqueles instalados no Entorno. “Serão juros reduzidos e isso pode ajudar muito os nossos comerciantes que sofrem com a pandemia”, declarou o emedebista.

Segundo os prefeitos, o objetivo da reunião também consistia em apaziguar os ânimos e construir uma solução unificada para a crise sanitária provocada pela pandemia de Covid-19.

Pouco antes do encontro, o prefeito de Valparaíso (GO) e presidente da Associação dos Municípios do Entorno de Brasília (Amab), Pábio Mossoró (MDB), comentou o debate envolvendo o tratamento de pacientes de cidades vizinhas ao Distrito Federal. “Não podemos ficar neste fogo cruzado”, disse ele, referindo-se ao embate entre Ibaneis e o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM).

Divisas

Como Ibaneis relatou à coluna Grande Angular, Caiado estaria “negligenciando seus pacientes”, uma vez que 25% das internações em unidades de terapia intensiva (UTIs) do DF são de pacientes do Entorno, especialmente provenientes de cidades goianas. Uma hora depois, Caiado respondeu que a declaração do emedebista era “estapafúrdia”.

Do ponto de vista do prefeito de Santo Antônio do Descoberto, Aleandro Caldato (DEM), a solução para a situação depende do bom senso de todas as partes envolvidas.

Nesse sentido, os prefeitos também estão em tratativas com a Secretaria de Saúde de Goiás. “Não adianta a gente decretar lockdown na Região Metropolitana, se os nossos moradores vêm diariamente para o DF”, explicou.